Linhas de Elvas
Remax - Já abriu
Nutriprado
Elióptica Junho 2018
Linhas Rádio
Sanielvas 358x90 - Nov17
Sanielvas 358x90 - Nov17
Linhas Rádio
Américo Nunes
Assine Já

Escolas do distrito distinguidas no programa Escolas Solidárias

O programa "Escolas Solidárias Fundação EDP" mobilizou 513 escolas, públicas e privadas, gerais e profissionais, do 2.º ciclo ao ensino secundário, envolvendo mais de 50 mil alunos e professores no ano lectivo 2017/18.

04 Junho 2018

O programa "Escolas Solidárias Fundação EDP" mobilizou 513 escolas, públicas e privadas, gerais e profissionais, do 2.º ciclo ao ensino secundário, envolvendo mais de 50 mil alunos e professores no ano lectivo 2017/18.

No distrito de Portalegre, a EB da Ammaia, em Marvão, foi premiada na categoria Distinção, grau reservado a escolas que tenham um desempenho de qualidade superior e distintivo (até 20 escolas). Por sua vez, o Centro Educativo Alice Nabeiro, em Campo Maior, foi premiado na categoria Super Escolas, grau atribuído às escolas que reúnam em simultâneo os atributos: ter, no mínimo, três inscrições no Escolas Solidárias; ter 70% de grau “distinções” (incluindo Revelação) no seu historial de participação; demonstrar elevada performance e uma postura de inovação/melhoria contínua (avaliação feita pelo júri).

Mais de 800 alunos e professores de escolas de todo o país celebraram, no Teatro Camões, em Lisboa, um ano lectivo dedicado a projectos de solidariedade e de cidadania, no âmbito dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, da ONU.

Num verdadeiro movimento de cidadania, estas escolas criaram 1250 equipas solidárias que desenvolveram mais de 1800 projectos ao longo do ano, com o objectivo de melhorar a vida das suas comunidades, uma vez que mais de 176 mil pessoas foram abrangidas por estas iniciativas. Estes projectos somaram cerca de quatro milhões de horas de cidadania.

Criado em 2010, o programa Escolas Solidárias Fundação EDP mobiliza anualmente dezenas de milhares de alunos e professores de escolas de todo o País, desafiando-os a tornarem-se agentes de mudança positiva. Neste sentido, as escolas desenvolvem projectos que contribuam para a melhoria de situações identificadas nas suas comunidades em áreas como a Pobreza e Fome, Desemprego/Sustentabilidade Económica, Educação/Literacia, Saúde, População Sénior, Conviver com a Diferença, Sustentabilidade Ambiental e Parceria Global para o Desenvolvimento Humano, em linha com os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, da Organização das Nações Unidas.

Actualmente, o programa conta com o selo oficial da Secretaria de Estado da Educação e da Direção Geral da Educação, bem como com o apoio de diversas personalidades da vida pública local e nacional, envolvidas pelos próprios alunos (padrinhos das escolas), e pela Fundação EDP (patronos do programa). São disso exemplo André Sardet, Aurea, Catarina Furtado, Cláudia Semedo, Eunice Muñoz, Fernanda Freitas, Heitor Lourenço, Jimmy P., Mafalda Ribeiro, Pedro Granger e Pedro Lima.

Segundo Margarida Pinto Correia, Directora de Inovação Social da Fundação EDP, “criar nesta camada etária a consciência de que podemos contribuir todos os dias para um mundo melhor, mais sustentável, e de que somos responsáveis por ele, é uma tarefa que este programa estimula intensamente. É uma sementeira de ferramentas para a construção de sustentabilidade nas suas vidas e na forma como participam em comunidade. O Escolas Solidárias tem crescido de ano para ano, e isso deixa-nos muito entusiasmados, mas sobretudo desafiados com o que fica por conquistar. Vamos a caminho!”.