euroace
Linhas de Elvas
Alimentos de Extremadura
Elióptica Novembro
Nutriprado
Liberdade Branco
Bricoelvas
Bricoelvas
Assine Já
Sanielvas 358x90 - Nov17
Liberdade Branco

"Os Verdes" consideram abate de árvores piada de Carnaval

Após a manchete de hoje do jornal "Linhas de Elvas", o partido ecologista "Os Verdes" reagiu esta quinta-feira exigindo uma reunião urgente à Câmara Municipal de Elvas para debater esta matéria.

08 Fevereiro 2018

Após a manchete de hoje do jornal "Linhas de Elvas", o partido ecologista "Os Verdes" reagiu esta quinta-feira exigindo uma reunião urgente à Câmara Municipal de Elvas para debater esta matéria.

Sobre o abate de meio milhar de árvores no concelho de Elvas, "Os Verdes" explicam que "podemos admitir que existam árvores na cidade, cujo estado fitossanitário leve à necessidade do seu abate por questões de segurança, mas não acreditamos que o universo de árvores doentes atinja o número de 500".

"Os Verdes" argumentam mesmo que "as árvores doentes, tal como as pessoas não se abatem, tratam-se. Por isso o PEV considera que a Câmara Municipal tem que ponderar esta situação, tornando público a listagem das 500 árvores e sua localização que considera estarem a necessitar de ser abatidas".

Mais acrescenta o partido ecologista que "a replantação de outras árvores no local das abatidas não é consolo, decorre da sua substituição, mas é de relembrar aos autarcas que uma árvore demora muitos anos a crescer". O partido sugere ainda que "as árvores a serem plantadas sejam árvores autóctones".

"Os Verdes" indicam que vão solicitar uma reunião, com carácter de urgência, ao executivo da Câmara Municipal de Elvas para debater esta matéria.

"A intenção de levar a efeito este acto parece não só ignorar a extrema importância de zonas arborizadas como esta, nos espaços urbanos, remetendo-as só para uma questão estética, como ignora a importância ainda mais relevante num concelho como Elvas, que atinge na Primavera/Verão temperaturas extremamente elevadas. Estas árvores desempenham, não só, funções importantíssimas em relação à qualidade do ar que respiramos, como cumprem ainda um papel de amenizador climático, e geram uma zona de ensombramento, “espaço de abrigo” fundamental para as populações, nomeadamente para as mais vulneráveis (crianças e idosos), nos períodos de maior pico de calor", sublinha o partido.

Noticias Relacionadas