Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
El Faro - Campanha de Verão
Camelo Maio 2020
Elióptica 2020 - Proteja os olhos
Bricoelvas
Elióptica 2020 - Loja Online
CME Vote Roncas de Elvas
Nabeirauto - 2020
Sanielvas 358x90 - Nov17
Nabeirauto - 2020

Em competição internacional no âmbito do património cultural e natural

Direcção Regional de Cultura do Alentejo integra parceria vencedora

A Direcção Regional de Cultura do Alentejo integra, com o Centro de Estudos de Arqueologia, Artes e Ciências do Património (CEAACP) da Universidade de Coimbra, a parceria vencedora do prémio europeu para projectos sobre património natural e cultural.

23 Junho 2020

A Direcção Regional de Cultura do Alentejo integra, com o Centro de Estudos de Arqueologia, Artes e Ciências do Património (CEAACP) da Universidade de Coimbra, a parceria vencedora do prémio europeu para projectos sobre património natural e cultural - competição internacional Copernicus Hackathon Cork -, com um projeto que incide numa solução de monitorização de eventos que podem colocar em risco o património a partir de dados de satélite acessíveis de modo gratuito.
O projecto foi desenvolvido por uma equipa de investigadores do CEAACP, em parceria com a startup Theia, tecnológica incubada no Instituto Pedro Nunes (IPN), em Coimbra, e com instituições de tutela do Património Cultural, nomeadamente a Direcção Regional de Cultura do Alentejo.
A iniciativa, organizada em Cork, na Irlanda, decorreu online entre os passados dias 9 e 13 de Junho. O desafio lançado aos participantes, que tinham de se constituir em equipas até quatro pessoas, consistiu em desenvolver soluções para ajudar a gerir, salvaguardar e monitorizar o património natural e cultural com recurso a dados de satélite dos programas Copernicus e Galileo.
A equipa deste projecto, que integrava Ricardo Cabral, Martino Correia, Steffan Davies e Tiago Cordeiro, apresentou a plataforma ARCHER - Heritage Surveillance and Monitoring, uma solução de monitorização de riscos múltiplos, que usa “dados de satélite, actualizados semanalmente, para detecção da acção de eventos que poderão pôr em risco o património, como, por exemplo, o abatimento dos solos, deslizamentos, erosão eólica e hídrica, inundações costeiras e fluviais, bem como actividades de natureza antrópica”.
“Acreditamos que, face às previsões actuais da evolução das alterações climáticas, as ferramentas da plataforma ARCHER serão indispensáveis para monitorizar e proteger o património com a maior eficácia possível”, refere a equipa.
Neste momento, a plataforma ARCHER está a completar o ciclo de testes de demonstração, tendo já sido desenvolvidos projectos-piloto com as direcções regionais de Cultura do Alentejo e do Algarve, nomeadamente o projecto SENSEOS de avaliação do risco de avanço de trabalhos agrícolas para áreas arqueológicas.
De salientar ainda a importância da vitória alcançada nesta competição, constituindo o reconhecimento internacional do esforço investido pela equipa numa tecnologia inovadora que pretende contribuir para a protecção do património.
O Copernicus é o Programa Europeu para a Observação da Terra, coordenado e gerido pela Comissão Europeia e pela Agência Espacial Europeia.