Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
Elióptica 2020 - 2
Nutriprado
CCDRA 4º Trimestre 2019
El Faro - Primavera 2020
Jocriauto 012020
Nabeirauto Corsa
Assine Já
Sanielvas 358x90 - Nov17
Nabeirauto Corsa
Jocriauto 012020

Évora

Corpo de homem com “sinais de decomposição” retirado de charca

O corpo de um homem, que já estaria “na água há algum tempo” e com “alguns sinais de decomposição”, foi retirado domingo, dia 22, de uma charca, num bairro na periferia de Évora.

22 Março 2020

O corpo de um homem, que já estaria “na água há algum tempo” e com “alguns sinais de decomposição”, foi retirado domingo, dia 22, de uma charca, num bairro na periferia de Évora, disseram fontes policiais e da Protecção Civil.
O Comando Distrital de Operações de Socorro de Évora (CDOS) disse à agência Lusa que “o alerta para um resgate aquático” foi dado aos bombeiros às 12,22h, quando “uma pessoa foi avistada dentro de água, já sem vida”, numa charca de água na zona do Bairro de Santa Luzia, na periferia da cidade.
“O corpo encontrava-se em estado de decomposição e os bombeiros foram desmobilizados”, temporariamente, tendo a PSP e elementos da Polícia Judiciária (PJ) sido mobilizados para o local, acrescentou o CDOS.
O cadáver só foi retirado da água mais tarde e fonte da PJ contactada pela Lusa adiantou tratar-se de “um homem, que aparenta ter mais de 45 anos” e que “já estava na água há algum tempo”.
“Apresenta alguns sinais de decomposição e não apresenta sinais de crime, mas vai ser sujeito a autópsia e, por enquanto, desconhecemos as circunstâncias em que ocorreu a morte e a identidade do indivíduo”, uma vez que “não tinha consigo qualquer documento”, acrescentou.
A PJ vai “continuar a investigar, primeiro para identificar” o homem e, “depois, para verificar o que se poderá ter passado”, sublinhou a fonte.
O corpo foi transportado pelos bombeiros, novamente mobilizados para o local, para os serviços de Medicina Legal de Évora.
A ocorrência envolveu um total de 16 operacionais dos Bombeiros de Évora, apoiados por oito veículos, bem como elementos do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), PSP e PJ.

RRL // SSS
Lusa