Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
Linhas em sua casa
CCDRA 4º Trimestre 2019
El Faro - Abril 2020
Jocriauto 012020
Nabeiroauto - Abril 2020
Linhas de Elvas
Sanielvas 358x90 - Nov17
Nabeiroauto - Abril 2020
Linhas de Elvas
Jocriauto 012020
Assine Já

ICOM-Portugal classifica cedência de obras a hotel como "assunto sem precedentes"

O comité português do Conselho Internacional de Museus (ICOM-Portugal) aponta a cedência de obras de arte do Museu dos Coches ao grupo hoteleiro Vila Galé como “um assunto sem precedentes”.

29 Fevereiro 2020

O comité português do Conselho Internacional de Museus (ICOM-Portugal) aponta a cedência de obras de arte do Museu dos Coches ao grupo hoteleiro Vila Galé como “um assunto sem precedentes” e pede esclarecimentos à Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC).
Numa carta ainda enviada à anterior directora-geral do Património Cultural, Paula Silva, entretanto substituída por Bernardo Alabaça, compara-se a cedência de obras da Colecção Rainer Daehnhardt ao que “aconteceu com as Pousadas de Portugal, antes de privatizadas”, em 2003.
“Trata-se de um assunto sem precedentes, comparável ao que aconteceu com as Pousadas de Portugal, antes de privatizadas, as quais possuíam muitos objectos da colecção de museus que importa resgatar em muitos casos”, lê-se na carta assinada pelo presidente do ICOM-Portugal, José Alberto Ribeiro, também director do Palácio Nacional da Ajuda.
“O ICOM-Portugal enviou, a 3 de Fevereiro passado, para a ex-directora da Direcção Geral do Património Cultural, Paula Silva, um ofício a solicitar a inclusão deste assunto na agenda da próxima reunião da SMUCRI [secção de museus no Conselho Nacional de Cultura] para que a discussão de um tema desta importância possa ser tão inclusiva quanto possível”, lê-se na carta em que se refere que “importa também obter mais informação sobre os bens depositados nas antigas pousadas da ENATUR e a situação relativa aos bens depositados em embaixadas e ministérios”.
O ICOM refere que tomou conhecimento da cedência através da directora do Museu dos Coches, Silvana Bessone, ficando assim a par “da decisão de saírem peças deste museu para um hotel que irá ser instalado em dependências da Coudelaria Real de Alter do Chão [no Alto Alentejo], contra o que inicialmente estava previsto com a criação de uma pequena unidade museológica validada em termos técnicos pelo referido museu nacional”.
A secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, autorizou a cedência de obras de arte do Estado para um hotel do grupo Vila Galé, em Alter do Chão, no distrito de Portalegre, mas dependendo do cumprimento de condições técnicas, como disse à Lusa, no passado dia 19.
A secretária de Estado disse ainda que, de futuro, haverá mais cedências, no âmbito do Programa Revive, embora as condições ainda não estejam totalmente definidas.
Já esta semana, a Associação Portuguesa de Museologia (APOM) criticou a cedência das peças e solicitou a intervenção urgente da provedora de Justiça relativamente ao despacho governamental que permite essa cedência.
A APOM refere que “os bens culturais requisitados pertenciam à Colecção Rainer Daehnhardt, que por auto de entrega, recepção e afectação de Bens Móveis, de 09 de Abril de 2018, foram ‘afectos à Direcção-Geral do Património Cultural [DGPC], para exposição permanente no Museu Nacional dos Coches, cabendo-lhe, doravante, a sua guarda e conservação’”.

NL (SS/HYT) // TDI
Lusa