Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
Elióptica 2020 - Proteja os olhos
El Faro - Campanha de Verão
Elióptica 2020 - Loja Online
Bricoelvas
Camelo Maio 2020
Jocriauto 012020
Nabeirauto - Opel Mokka
Jocriauto 012020
Nabeirauto - Opel Mokka
Sanielvas 358x90 - Nov17

Exportações em valor de vinhos do Alentejo para o Brasil duplicam em quatro anos

Aludindo aos dados mais recentes divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a mesma responsável, que tem a seu cargo o mercado do Brasil na CVRA, indicou que, no ano passado, o Alentejo vendeu “à volta de 12,5 milhões de euros” de vinho para aquele país.

13 Fevereiro 2020

As exportações dos Vinhos do Alentejo para o Brasil, que ocupa o “primeiríssimo lugar” dos mercados externos para a região, “duplicaram em valor” entre 2016 e 2019, revelou hoje a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).
“Nos últimos quatro anos, de 2016 a 2019, duplicámos as exportações em valor para o Brasil”, assim como “vendemos um pouco mais em volume”, revelou hoje à agência Lusa Maria Amélia Vaz da Silva, da CVRA.
Aludindo aos dados mais recentes divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a mesma responsável, que tem a seu cargo o mercado do Brasil na CVRA, indicou que, no ano passado, o Alentejo vendeu “à volta de 12,5 milhões de euros” de vinho para aquele país.
“O Brasil ocupa o primeiríssimo lugar das exportações dos Vinhos do Alentejo e, em 2019, foi responsável por um pouco mais de 20% do valor total” dos vinhos que a região vendeu no estrangeiro, destacou.
Já em termos de volume, em que o Brasil “também ocupa o primeiro lugar” do ‘ranking’ das exportações, no ano passado saíram “2,6 milhões de litros” de vinho da região para território brasileiro, adiantou.
“É um valor considerável, é uma boa percentagem das nossas exportações em termos de volume, cerca de 15%”, afirmou, sublinhando que estas vendas em volume no Brasil, no ano passado, representam “quase o dobro” das registadas no país que ficou em 2.º lugar, a Polónia.
Para Maria Amélia Vaz da Silva, a evolução das exportações dos vinhos da região para o Brasil, nos últimos quatro anos, significa que o Alentejo está “a vender um pouco mais em volume, mas sobretudo a vender muito melhor”.
“Os produtores estão a ganhar confiança, as exportações estão a ser consolidadas e mesmo da parte do consumidor há hoje maior conhecimento em relação aos vinhos portugueses, o que também permite que os preços possam subir um pouco”, porque antes estavam “baixos em comparação com os de países como a França ou Espanha”, e “é isso que tem vindo a acontecer”, argumentou.
No Brasil, “há um trabalho que tem vindo a ser feito pelos produtores e pelos importadores e há um gosto do povo brasileiro pelos Vinhos do Alentejo”, até porque “a gastronomia acaba por ser parecida na maioria dos estados”, o que constitui “uma mais-valia para o consumo” deste produto desta região portuguesa, vincou.
“O mercado brasileiro mantém-se como prioritário para nós, sobretudo ao nível das exportações, e, por isso, esta iniciativa permite ter os melhores embaixadores dos Vinhos do Alentejo num país de grande dimensão como é o Brasil”, realçou o presidente da CVRA, Francisco Mateus.
As exportações dos Vinhos do Alentejo seguem para mais de 75 países. Em valor, os primeiros cinco países são Brasil, Suíça, Angola, Estados Unidos e Polónia. Em volume, atrás do Brasil, surgem a Polónia, Estados Unidos, Angola e França, revelou à Lusa Maria Amélia Vaz da Silva.