euroace
Linhas de Elvas
Elióptica Julho 2019
Nutriprado
Liberdade Branco
Sanielvas 358x90 - Nov17
Liberdade Branco
Assine Já

ACOS solidária com Cimeira de Acção Climática

A defesa da sustentabilidade é um imperativo da ACOS que procura unir esforços com todas as áreas do saber e sectores de actividade de modo a que se consigam obter resultados mais consistentes.

24 Setembro 2019

A ACOS - Associação de Agricultores do Sul solidariza-se com todas as acções em defesa de um planeta mais limpo e sustentável, designadamente a Cimeira de Acção Climática, que decorreu segunda-feira em Nova Iorque pela mão da ONU, e a acção climática global observada esta semana por parte de diversos sectores de actividade no nosso País, designadamente escolas.

A defesa da sustentabilidade é um imperativo da ACOS que procura unir esforços com todas as áreas do saber e sectores de actividade de modo a que se consigam obter resultados mais consistentes.

Prova disso é o grande contributo que a ACOS está a preparar para mais uma edição da Ovibeja. “Agricultura Con(s)CIÊNCIA” é o mote da 37ª Ovibeja, a realizar de 29 de Abril a 3 de Maio de 2020, e para a qual já estão a ser desenvolvidas acções que abordem a questão da eficiência que remete para a sustentabilidade e para o conhecimento com base na ciência.

Também este ano a Ovibeja promoveu um seminário que reuniu alguns dos mais conceituados especialistas nacionais e internacionais, para discussão e reflexão, como tema principal, dos impactos das alterações climáticas, as suas consequências para a agricultura e o papel dos agricultores como guardiões da biodiversidade. Com a certeza de que “não há agricultura sem homens nem homens sem agricultura”, os homens da terra são o grupo profissional que está na linha da frente para a tomada de medidas que permitam continuar a produzir alimentos e a desenvolver e dinamizar o espaço rural de forma sustentável. Investigadores, agrónomos, geógrafos, estudantes, agricultores e muitos outros especialistas reflectiram em conjunto sobre o papel da agricultura para a mitigação ou reversão das alterações climáticas.

A ACOS co-organizou ainda um Congresso Ibérico sobre Pecuária Extensiva no qual uma das mais importantes linhas de abordagem se centrou no importante papel da pecuária em extensivo, o pastoreio, as pastagens e as dinâmicas de povoamento rural contra os efeitos adversos das alterações climáticas. 

Ciente de que há um longo caminho a percorrer na procura das melhores práticas “amigas” do ambiente, a ACOS criou também este ano um novo serviço, com um cariz mais pedagógico e com ligação à investigação científica.

O Projeto ACOS+ Natureza e Equilíbrio é um espaço de sensibilização, de partilha e de conhecimento, dirigido a toda a comunidade. Tem como objectivo informar e sensibilizar acerca de temas relacionados com Vida Saudável, Agricultura, Agropecuária, Desenvolvimento Sustentável e Biodiversidade.

Em colaboração com o Agroturismo Xistos, está neste momento a preparar, junto da comunidade, o Projecto “(Re)florestar”, com o propósito de promover e valorizar os ecossistemas florestais.

Embora estejam a ser tomadas medidas, é preciso ir mais longe. Entre outras, importa aumentar o uso de tecnologias de precisão, preencher lacunas de conhecimento sobre o impacto das alterações climáticas na agricultura, como forma de a tornar mais sustentável e minimizar desperdícios.

No dia em que os líderes mundiais voltam a encontrar-se na procura de soluções em defesa do planeta, a ACOS manifesta a sua solidariedade e salienta que há ambientalistas e ambientalistas. Os agricultores, que desenvolvem a sua actividade a céu aberto na produção de alimentos para todos, são os principais interessados na defesa do ambiente e são os principais agentes da defesa e protecção da biodiversidade.

Os agricultores defendem, por isso, a adopção de políticas activas, nacionais e comunitárias, em defesa da agricultura e do mundo rural. E a criação de campanhas de comunicação que aumentem o conhecimento geral sobre o sector agrícola de modo a que possa ser respeitado e valorizado em função dos seus importantes contributos para a produção de alimentos e minimização dos impactos das alterações climáticas.