Linhas de Elvas
Nutriprado
Elióptica Julho 2019
Legislativas Especial Semana à Sexta
Sanielvas 358x90 - Nov17
Assine Já

Comandos Territoriais de Portalegre, Évora e Beja participaram na operação

Militares da GNR do Alentejo ajudam a desmantelar fábrica clandestina de tabaco

Estima-se que a fraude e evasão fiscal, gerada pela produção e comercialização do tabaco produzido na referida fábrica, que tinha como destino o Território Nacional e países da União Europeia, seja de montante superior a 9 milhões e 600 mil euros.

26 Junho 2019

A Unidade de Acção Fiscal, através do Destacamento de Acção Fiscal de Faro da GNR desencadeou, ontem, na zona de Loulé, uma operação policial que resultou na detenção de 13 indivíduos, dos quais 12 homens e uma mulher, com idades compreendidas entre os 30 e os 65 anos, de nacionalidades Polaca, Ucraniana, Romena, Russa e Portuguesa, e na apreensão de tabaco suficiente para introduzir no consumo cerca de 46 milhões de cigarros.

No âmbito de um inquérito, que decorre há cerca de meio ano e que tem por objecto a investigação de uma organização criminosa internacional, que se dedica à produção e comercialização fraudulenta de tabaco, a Guarda Nacional Republicana levou a efeito esta operação com o objectivo de proceder ao desmantelamento de uma fábrica ilegal de manufacturação de cigarros em larga escala, levando à detenção dos suspeitos responsáveis pela sua operacionalização.

Para o efeito, foi dado cumprimento a 14 mandados, dos quais cinco de detenção, sete de busca domiciliária, um de busca à fábrica de manufacturação ilícita de tabaco e um de busca ao armazém utilizado para o depósito da produção ilícita, destacando-se as seguintes apreensões:

- Cerca de 15 milhões e 600 mil cigarros produzidos na fábrica;
- Cerca de 17 toneladas de folha de tabaco (daria para produzir cerca de 16 milhões e 800 mil cigarros);
- Cerca de 14 toneladas de tabaco triturado (daria para produzir 13 milhões 750 mil cigarros);
- Cinco Máquinas utilizadas na trituração de folha de tabaco, manufactura e acondicionamento do tabaco ilicitamente produzido;
- Matérias-primas diversas utilizadas na produção ilícita, como filtros, colas, boquilhas, tubos para cigarros, cartão de maços, celofane, papel de tabaco e caixas para embalar tabaco;
- Seis viaturas ligeiras;
- Uma arma de fogo.

Estima-se que a fraude e evasão fiscal, gerada pela produção e comercialização do tabaco produzido na referida fábrica, que tinha como destino o Território Nacional e países da União Europeia, seja de montante superior a 9 milhões e 600 mil euros.

Esta operação, inédita em Portugal, que culminou com o desmantelamento da primeira infraestrutura de produção massificada de cigarros em Território Nacional, contou com o apoio e patrocínio da EUROPOL e com a colaboração da Polish Border Guard e da Polish Police. Envolveu o empenhamento de 100 militares, da Unidade de Acção Fiscal, da Unidade de Intervenção e dos Comandos Territoriais de Beja, Évora, Faro, Portalegre e Santarém.

Foram ainda constituídos dois arguidos de nacionalidade Grega, com 37 e 60 anos, suspeitos de integrarem este grupo criminoso. Um dos detidos tinha um alerta internacional para efeitos de detenção e entrega ou extradição, através do sistema Schengen.

Os detidos foram hoje presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação de medidas de coacção no tribunal de Faro.