flamenco y fado
Linhas de Elvas
Elióptica Abril 2019
CCDRA
Nutriprado
Linhas Rádio 2019
Sanielvas 358x90 - Nov17
Assine Já

Missão Alentejo Global Invest na Califórnia

Esta missão internacional com foco na Califórnia, pretendeu dar continuidade à estratégia de promoção internacional da região, esteve repartida em duas missões temáticas – Portos, Logística e Agro-indústria.

19 Maio 2019

A ADRAL - Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo levou a cabo uma nova missão de internacionalização do território. O projecto Alentejo Global Invest visa sobretudo promover de forma inovadora e alargada um conjunto de infraestruturas e recursos da região, com o intuito de potenciar o seu reconhecimento internacional junto de empresas e investidores.

Esta missão internacional com foco na Califórnia pretendeu dar continuidade à estratégia de promoção internacional da região, esteve repartida em duas missões temáticas – Portos, Logística e Agro-indústria.
Fizeram parte desta iniciativa, o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, Roberto Grilo, o presidente da ADRAL, José Calixto, o presidente da EDIA, José Carlos Salema, vários empresários e autarcas do Alentejo e representantes de outras estruturas.

Para o Presidente da Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo é claro que a economia do Alentejo está bem diferente de décadas anteriores e que as infraestruturas oferecem condições ideais para captar o interesse de investidores da Califórnia.

Roberto Grilo, Presidente da CCDR Alentejo considera que ‘esta foi uma missão ambiciosa, mas que revela a orientação do Alentejo para os mercados internacionais, tanto nas operações portuárias como no sector agro-alimentar’.

‘O grande objectivo destas missões é a contribuição concreta para que estes investimentos venham consolidar este ‘novo Alentejo’ e o esforço que tem sido feito para dotar a região destas infraestruturas’, afirma Roberto Grilo.

A primeira etapa da missão consistiu numa visita ao vale central da Califórnia, pela comitiva agrícola local em que a actividade agropecuária é dominante. Ponto de interesse para as empresas intervenientes, a Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), a Cooperativa Agrícola de Reguengos de Monsaraz e a Associação dos Agricultores do Baixo Alentejo, bem como outras empresas privadas do sector, que representam os 120 mil hectares que a barragem de Alqueva irriga.

O Presidente da CCDR Alentejo mostra-se confiante no retorno de investidores e revela que foi discutida a preparação de uma missão inversa que levará entidades e empresas a visitar o Alentejo, para que sejam concretizados investimentos. Uma anterior missão à China, também no âmbito do projecto Alentejo Global Invest, culminou com acordos de exportação de carne de porco no valor de 300 milhões de euros entre 2019 e 2020, e segundo Roberto Grilo, uma missão semelhante está a ser preparada, desta vez com destino ao Brasil.

O Alentejo exportou 3 milhões de euros em 2017 e superou os 3,5 milhões em 2018, com foco nos mercados intra-comunitários de Espanha, França e Alemanha. Um crescimento notório que irá continuar, afirma José Calixto.

‘O Alqueva é uma das grandes infraestruturas que o Alentejo tem, com capacidades múltiplas, e temos que dizer ao mundo que a temos’, salientou o Presidente da ADRAL, que explicou ainda que um dos objectivos desta missão foi dar a conhecer as capacidades de uma região que não é tão conhecida como outras zonas agrícolas europeias. O agro-alimentar expandiu exponencialmente nos últimos anos com o perímetro de rega da barragem de Alqueva e irá crescer ainda mais, disse José Calixto, que revelou que está em curso um projecto de expansão com investimento de 550 milhões de euros que irá aumentar a zona de regadio em 40%.

Esse terreno que vai ser irrigado é uma oportunidade para os que queiram apostar numa zona da Europa que está servida por um dos maiores portos de águas profundas, uma entrada no continente europeu, e uma ligação preferencial com a América por estar na ponta Oeste finalizou o presidente da ADRAL.

Ocorreram reuniões com as Autoridades Californianas de Gestão dos Recursos Hídricos, “Reunião US Bureau of Reclamation + California Departament of Water Resources”, tendo sido abordados temas relacionados com o sistema de monitorização dos recursos hídricos e o modelo de reporte partilhado de dados, bem como o historial de todo o sistema de direitos da água, ligação e competências entre agências federal, estadual e local,“water district”. O contraste de realidades, permitiu à comitiva aumentar o seu conhecimento na área, cumprindo assim um objectivo da missão. A visita às barragens Folsom e Oroville permitiu à comitiva discutir assuntos como a produção de energia, a construção da barragem, a fauna e floras locais e as tribos indígenas que ainda ali vivem.

Ao mesmo tempo, os restantes elementos da comitiva percorrem Los Angeles, com o objectivo de consolidar relações comerciais, onde foi realizada uma visita a um dos seus mais conhecidos portos, também conhecido como Los Angeles Harbor ou WORLDPORT L.A e ainda uma visita ao complexo portuário da baía de São Pedro e o Porto de Huenem.

Para reforçar o estudo e análise do tema foco desta missão,teve lugar um encontro com as entidades portuárias da região.

Esta iniciativa, cumpriu os objectivos pré-estabelecidos, tais como, angariação de potenciais investidores, o aprofundamento dos temas foco deste projecto, através do contacto directo com a área, no estrangeiro. Permitiu o aumento da notoriedade dos produtos alentejanos e da região. O Alentejo não só deixou a sua marca, através deste projecto, como também regressou dotado de novas ideias, projectos e entendimentos superando assim as suas expectativas.

Esta missão permitiu divulgar as condições vantajosas que o Alentejo detém par atrair investimento para o território, garantindo competitividade à escala global, acrescentou ainda Roberto Grilo.

O presidente da ADRAL relevou ainda a importância da AICEP nesta deslocação, referindo que a capilaridade e proeminência local da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal tem sido fundamental nas missões do Alentejo Global Invest.