Linhas de Elvas
Talho Escarduça
Elióptica Fevereiro 2019
Neurofit
Nutriprado
Liberdade Branco
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco

Política -Populares acusam

“Destinos de Portalegre não estão a ser conduzidos da melhor forma”

A Comissão Política Concelhia de Portalegre do CDS considera que “os destinos de Portalegre e dos Portalegrenses não estão a ser conduzidos da melhor forma pelo executivo municipal, nem pelos membros da sua assembleia, pois não estão a ser salvaguardados os seus interesses”.

27 Março 2019

A Comissão Politica Concelhia de Portalegre do CDS considera, em comunicado enviado ao Linhas, que “os destinos de Portalegre e dos Portalegrenses não estão a ser conduzidos da melhor forma pelo executivo municipal, nem pelos membros da sua assembleia, pois não estão a ser salvaguardados os seus interesses”.

“A Assembleia Municipal de Portalegre de carácter extraordinário, decorrida no passado dia
22/03/2019, ficou mais uma vez marcada pela falta de consenso entre os seus membros, mas também
pela enorme falta de bom senso de todos eles.
Assuntos fulcrais na gestão do município de Portalegre, com impacto direto na vida de todos os
Portalegrenses, como a transferência de competências para a entidade intermunicipal, o orçamento
municipal e as grandes opções do plano, ou até mesmo o acordo de regularização de dívida com a
Águas do Vale do Tejo, foram debatidos nesse fórum sem que os mesmos tenham sido objeto de
consenso, tendo a falta de bom senso reinado nas decisões (não) tomadas.
A transferência de competências do modo como foi apressadamente legislada por este governo,
decretou que estas, desde 01/01/2019, já se encontram transferidas, existindo no entanto, a
prorrogativa de não as aceitar de imediato, podendo ser protelada a sua efetivação para o ano 2020
ou até mesmo para o ano de 2021. Com uma enorme falta de bom senso, diríamos até de forma
leviana, em vez de se protelar a transferência de competências, está se a anuir de modo subserviente,
sem a devida ponderação sobre o assunto, entrado no campo do experimentalismo, correndo o risco
de seguir um rumo indesejado e sem retorno.
O orçamento municipal e as grandes opções do plano de 2019, só por si são matérias sensíveis e
essenciais para o futuro de Portalegre e dos Portalegrenses, mas se a esta temática acrescentarmos
que o 1º trimestre de 2019 está prestes a terminar… nem mais palavras importa acrescentar.
O acordo de regularização de dívida com a Águas do Vale do Tejo, que permitiria uma segunda folga
orçamental supostamente para melhoria da qualidade de vida dos Portalegrenses, pois a primeira
ninguém sabe onde foi utilizada, também não foi objeto de consenso.
Depois da enorme homenagem que Portalegre fez merecidamente ao Prof. Dr Adriano Moreia, nós
Comissão Política Concelhia de Portalegre do CDS, estávamos esperançados de que alguma coisa
tivesse sido aprendido nas suas palavras. “Unir e conciliar é essencial para fazer acontecer”, e “Sem cooperação
não há salvação possível”, foram duas fortes e claras mensagens proferidas por quem sempre colocou o
interesse nacional acima de tudo e que sempre trabalhou em prol do bem comum.
A nós Comissão Politica Concelhia de Portalegre do CDS parece-nos que os destinos de Portalegre
e dos Portalegrenses não estão a ser conduzidos da melhor forma pelo executivo municipal, nem
pelos membros da sua assembleia, pois não estão a ser salvaguardados os seus interesses. A falta de
consenso e de bom senso entre o executivo e os membros da assembleia municipal é tal ordem que,
apesar de ter sido convocada extraordinariamente, nada de relevante foi decido. Contudo, estamos
em crer que seguramente não poderá ter sido convocada apenas pelas senhas de presença…
Seguramente que Portalegre merece mais…”