Linhas de Elvas
Elióptica Fevereiro 2019
Talho Escarduça
Neurofit
Nutriprado
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco
Liberdade Branco

Enfermeiros de Elvas em solidariedade com colega em greve de fome

Carlos Ramalho, presidente do Sindepor, está em luta desde quarta-feira em frente ao Palácio de Belém

21 Fevereiro 2019

Enfermeiros do Hospital de Santa Luzia mostraram esta quinta-feira, 21 de Fevereiro, uma acção de solidariedade em frente à unidade hospitalar, no qual demonstraram apoio para com Carlos Ramalho.

O enfermeiro é também presidente do Sindepor (Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal) e está desde o meio-dia de quarta-feira, 20 de Fevereiro, em greve de fome, junto ao palácio de Belém, residência do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Esta tomada de posição de Carlos Ramalho acontece após a Procuradoria Geral da República (PGR) considerar ilegal a 'Greve Cirúrgica' por não corresponder ao pré-aviso que foi entregue e porque o fundo usado para compensar a perda de salário – através de financiamento colectivo- não foi constituído nem gerido pelos sindicalistas que decretaram a paralisação.

Esta acção por parte dos profissionais em Elvas juntou uma dezena de enfermeiros. A enfermeira Sandra Carvalho assume que as promessas não foram compridas por parte do Governo, e apresar do parecer da PGR os mesmos vão aguardar pela decisão dos tribunais.

“A Greve Cirúrgica foi a maneira mais drástica que encontrámos. Queremos mostrar o nosso apoio ao enfermeiro Carlos Ramalho que está a lutar pelos nossos direitos”, disse.

Quanto a Carlos Ramalho, este afirma que só termina a greve de fome quando o Governo voltar a chamar os enfermeiros às negociações.


Mais desenvolvimentos na edição em papel.