Linhas de Elvas
Nutriprado
Elióptica Julho 2019
Linhas Rádio 2019
Sanielvas 358x90 - Nov17
Assine Já

Enfermeiros de Elvas em solidariedade com colega em greve de fome

Carlos Ramalho, presidente do Sindepor, está em luta desde quarta-feira em frente ao Palácio de Belém

21 Fevereiro 2019

Enfermeiros do Hospital de Santa Luzia mostraram esta quinta-feira, 21 de Fevereiro, uma acção de solidariedade em frente à unidade hospitalar, no qual demonstraram apoio para com Carlos Ramalho.

O enfermeiro é também presidente do Sindepor (Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal) e está desde o meio-dia de quarta-feira, 20 de Fevereiro, em greve de fome, junto ao palácio de Belém, residência do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Esta tomada de posição de Carlos Ramalho acontece após a Procuradoria Geral da República (PGR) considerar ilegal a 'Greve Cirúrgica' por não corresponder ao pré-aviso que foi entregue e porque o fundo usado para compensar a perda de salário – através de financiamento colectivo- não foi constituído nem gerido pelos sindicalistas que decretaram a paralisação.

Esta acção por parte dos profissionais em Elvas juntou uma dezena de enfermeiros. A enfermeira Sandra Carvalho assume que as promessas não foram compridas por parte do Governo, e apresar do parecer da PGR os mesmos vão aguardar pela decisão dos tribunais.

“A Greve Cirúrgica foi a maneira mais drástica que encontrámos. Queremos mostrar o nosso apoio ao enfermeiro Carlos Ramalho que está a lutar pelos nossos direitos”, disse.

Quanto a Carlos Ramalho, este afirma que só termina a greve de fome quando o Governo voltar a chamar os enfermeiros às negociações.


Mais desenvolvimentos na edição em papel.