alimentos extremadura
Linhas de Elvas
Talho Escarduça
Elióptica Fevereiro 2019
Liberdade Branco
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco
Assine Já
Sanielvas 358x90 - Nov17
Linhas Rádio 2019

Elvas

Arkus promove envelhecimento activo com "Velhos são os Trapos"

A associação juvenil Arkus apresentou, hoje, o projecto "Velhos são os Trapos", na sede, no centro histórico de Elvas, numa proposta que visa a promoção do envelhecimento activo oferecendo mais qualidade de vida à terceira idade.

19 Fevereiro 2019

A associação juvenil Arkus apresentou, hoje, o projecto "Velhos são os Trapos", na sede, no centro histórico de Elvas, numa proposta que visa a promoção do envelhecimento activo oferecendo mais qualidade de vida à terceira idade.

Como referido por Raquel Real, responsável pelo planeamento de projectos da Arkus, "temos de pensar no futuro e apostar no envelhecimento activo, levando a alegria da juventude aos lares do nosso concelho".

A ideia, que foi o ponto de partida deste projecto, surgiu pelo presidente da colectividade, Carlos Beirão, que desde sempre tem realizado diversas actividades culturais, quer com a ARKUS, quer com os alunos da Escola Secundária D. Sancho II, onde lecciona há vários anos. Em algumas das intervenções feitas nos lares deu conta desta necessidade, como foi o caso da Associação de Amigos de Vila Fernando.

O projecto arrancou no final do ano passado, com o apoio da Câmara Municipal de Elvas, e conta com o contributo de duas animadoras sócio-culturais, Núria Galego e Verónica Valente, as quais dinamizam actividades em cinco lares do nosso concelho.

Os lares Júlio Alcântara Botelho, da Fundação António Gonçalves, da Associação de Amigos de Vila Fernando, da Associação de Assistência de Vila Boim e do Centro Humanitário Cruz Vermelha Portuguesa de Elvas integram esta iniciativa. Ana Candeias, directora técnica da Associação de Assistência de Vila Boim, salientou que este projecto constitui uma oportunidade de "chegar a todos, tentando aumentar e diversificar as actividades de modo a ir ao encontro dos interesses dos envolvidos".

A animadora do Centro Comunitário da Cruz Vermelha, Maria Vicente, referiu que este é um projecto que tem tido um desenvolvimento positivo e salienta a importância da sua continuidade, bem como o director do Lar Júlio Alcântara Botelho que menciona "os laços e a interacção entre gerações que este projecto proporciona".