Linhas de Elvas
Neurofit
Talho Escarduça
Elióptica Fevereiro 2019
Nutriprado
Liberdade Branco
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco

Cadeia de Évora recusa condenado do processo ‘Face Oculta’

Manuel Guiomar tem de se apresentar em outro estabelecimento

15 Janeiro 2019

O estabelecimento prisional de Évora recusou esta terça-feira, 15 de Janeiro, a entrada de Manuel Guiomar, um dos três arguidos condenados no processo ‘Face Oculta’.

A razão para a recusa é que a cadeia é dedicada a reclusos com estatuto especial de protecção, como elementos de forças de segurança ou políticos, como o caso do ex-primeiro ministro José Sócrates.

De acordo com o Correio da Manhã o arguido deve agora cumprir prisão perto de sua casa, neste caso no Estabelecimento Prisional de Castelo Branco. O ex-funcionário da REFER foi condenado a seis anos de prisão neste processo.

Armando Vara, antigo governante e João Tavares, antigo funcionário da Petrogal foram condenados a cinco anos e nove meses de cadeia no mesmo processo.

Em Tribunal Constitucional estão os recursos de Manuel Godinho, José Penedos, Paulo Penedos, Domingo Paiva Nunes, Hugo Godinho e Figueiredo Costa.

Na primeira instância, dos 36 arguidos, 34 pessoas singulares e duas empresas, 11 foram condenados a penas de prisão efectiva, entre os quatro anos e os 17 anos e meio.

O processo Face Oculta é uma investigação iniciada em 2009 pelo DIAP do Baixo Vouga no qual apurou casos de corrupção e outros crimes económicos de um grupo empresarial de Ovar, do sucateiro Manuel Godinho e as relações com empresas como REFER, EDP, REN e governantes políticos como o ex-ministro Armando Vara.

A sentença da primeira instância chegou em 2014. Foram condenados 34 arguidos individuais e 2 colectivos