euroace
Linhas de Elvas
Nutriprado
A Loja da Paula - 25 Anos
CCDRA
Elióptica Boas Festas
Liberdade Branco
Sanielvas 358x90 - Nov17
Assine Já
Liberdade Branco

Caçadores de Vila Boim sopram 14 velas (c/fotos)

Cerimónia decorreu no pavilhão multiusos da localidade

Alexandre Levezinho

07 Outubro 2018

A Associação de Caçadores de Vila Boim celebrou 14 anos de existência. Numa cerimónia, que se expressou com um almoço no Pavilhão Multiusos da localidade para mais de uma centena de pessoas (60 eram sócios), António Rocha, presidente da colectividade mostrou-se satisfeito com estes 14 anos de associação.

“Faço um balanço de muito trabalho, de muita dedicação e de muitos sócios. Há coisas boas e outras menos boas, vamos lutando com as dificuldades que temos, pois é cada vez mais difícil sustentar o associativismo. Tudo o que temos pagamos, desde renda, a espingardas ou cartuchos”, indicou.

Anualmente um caçador tem entre 1500 a dois mil euros de gastos com esta actividade, o dirigente assume que a associação nasceu para “pessoas de poucos recursos” e nestes anos de caça, orgulha-se de ter uma reserva com grande biodiversidade, desde “javalis, a porcos ou pombos”.

Ao almoço foi servido bacalhau e bifinhos, Sérgio Ventura, vereador do município, nunca foi fã de caça mas marcou presença no evento e assinalou a importância da “interligação” entre associações e poder local. “As associações complementam o trabalho da Câmara Municipal, há que existir uma interligação de forma a desenvolver diversas actividades, seja a caça, cultura ou desporto, que são de extrema importância e vitalidade no desenvolvimento do concelho”, indicou ao ressalvar que estas iniciativas em regiões com menos população acabam por unir pessoas de várias idades.

A Associação de Caçadores de Vila Boim tem lutado para inserir a juventude no associativismo. Este ano dois jovens entraram para a colectividade. João Gomes de 19 anos, reside em Elvas e é o sócio mais novo. Juntou-se em Abril deste ano, e deu seguimento a uma tradição familiar. “O meu pai e tio já cá caçavam e eu costumava acompanhá-los nesta actividade, agora sou mais um para a casa”, disse. Para João a caça é um desporto “fora do normal” onde se “respeita os animais” que caça. Nós damos o tiro, mas não quer dizer que matemos os animais”, assume o jovem ao lembrar que foi um javali de 90 kgs que mais gostou de disparar.

O evento teve lugar a 9 de Setembro no pavilhão multiusos de Vila Boim.