Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
Elióptica 2020 - Proteja os olhos
Bricoelvas
Elióptica 2020 - Loja Online
Camelo Maio 2020
CME Redes Sociais
El Faro - Campanha de Verão
Nabeirauto - Opel Mokka
Jocriauto 012020
Sanielvas 358x90 - Nov17
Jocriauto 012020
Nabeirauto - Opel Mokka

PSD cancela Universidade de Verão devido à pandemia

O PSD cancelou a Universidade de Verão da JSD, a tradicional iniciativa de formação política e que funcionava como 'rentrée' do partido, devido à pandemia de covid-19, disse hoje à Lusa fonte oficial social-democrata.

24 Junho 2020

O PSD cancelou a Universidade de Verão da JSD, a tradicional iniciativa de formação política e que funcionava como 'rentrée' do partido, devido à pandemia de covid-19, disse hoje à Lusa fonte oficial social-democrata.
Em maio, o presidente do PSD, Rui Rio, já tinha anunciado o cancelamento da festa do Pontal no Algarve e do Chão da Lagoa na Madeira devido à covid-19, justificando a decisão com "as regras do bom senso".
"Seguindo as regras do bom senso, e de respeito pela lei e pela saúde de todos nós, o PSD decidiu não realizar nenhuma das suas festas de Verão, designadamente a do Chão da Lagoa na Madeira e a do Pontal no Algarve. Só com disciplina e unidade conseguiremos vencer a covid-19", escreveu então Rio numa publicação na rede social Twitter.
Nessa altura, ainda estava a ser ponderada a realização da Universidade de Verão, em moldes diferentes, mas o PSD decidiu agora cancelá-la.
A Universidade de Verão é uma iniciativa de formação de jovens quadros criada em 2003 e promovida conjuntamente pelo PSD, a JSD, o Instituto Sá Carneiro e o Partido Popular Europeu. Junta cerca de cem pessoas, entre os jovens e a organização num hotel de Castelo de Vide (Portalegre) e realiza-se habitualmente entre final de agosto e início de setembro.
A Universidade de Verão do PSD nasceu quando o partido era liderado por Durão Barroso, e a ideia inicial era funcionar apenas como um palco de 'rentrée' para o líder, evoluindo depois para um projeto de formação de jovens quadros, modelo que vigora até hoje.
São selecionados anualmente cerca de 100 jovens entre as centenas de candidaturas, tendo em conta critérios de género, idade e distribuição geográfica. Com direito a jornal diário e um canal de televisão interno, no final todos os 'alunos' recebem um diploma.
Pela iniciativa passam habitualmente as principais figuras do partido, com o encerramento a cargo do presidente do PSD, e também muitos convidados de outras formações políticas - o antigo Presidente da República e fundador do PS Mário Soares foi um deles, em 2011 -, bem e personalidades independentes.