Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
Linhas em sua casa
El Faro - Abril 2020
CCDRA 4º Trimestre 2019
Jocriauto 012020
Nabeiroauto - Abril 2020
Linhas de Elvas
Nabeiroauto - Abril 2020
Linhas de Elvas
Jocriauto 012020
Assine Já
Sanielvas 358x90 - Nov17

CDS-PP debateu saúde no distrito

O Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre recebeu, no passado domingo, dia 23, o colóquio organizado pela Comissão Política Distrital de Portalegre do CDS-PP, subordinado ao tema “A Saúde no Distrito”.

25 Fevereiro 2020

O Auditório da Santa Casa da Misericórdia de Portalegre recebeu, no passado domingo, dia 23, o colóquio organizado pela Comissão Política Distrital de Portalegre do CDS-PP, subordinado ao tema “A Saúde no Distrito”.
A iniciativa contou com um painel de oradores que discutiu vários temas relacionados com o actual estado da saúde no distrito de Portalegre, numa conversa moderada por Luísa Moreira.
Adriano Pedro, director da Escola Superior de Saúde de Portalegre (ESSP), Carlos Baeta, médico especialista e consultor em medicina interna, Nuno Serra Pereira, consultor na área da saúde, e Paula Andrade, enfermeira e professora na ESSP, foram os nomes escolhidos para compor o painel.
No final, a sessão dispôs de um tempo aberto a intervenções do público, que aderiu em larga escala, dirigindo várias questões aos oradores convidados.
O encerramento esteve a cargo de Tiago Abreu, presidente da Distrital do CDS-PP de Portalegre.
A CPD de Portalegre do CDS-PP considerou que o colóquio “permitiu abordar várias falhas actuais da saúde do distrito e no País, resultante de políticas erradas e geradoras de discriminação, fornecendo, através dos diversos contributos, bases sólidas para a construção de abordagens mais fundamentadas aos problemas apontados”.
A iniciativa serviu ainda para dar voz à população, que dispôs da possibilidade de intervir.
O CDS-PP “deu assim mais uma prova de uma política de proximidade, procurando encarar os problemas mais sérios do distrito de Portalegre, combatendo o esquecimento do interior e recusando-se a cruzar os braços às diferenças de um País pequeno demais para tanto desequilíbrio”.