Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
Camelo Maio 2020
Bricoelvas
CME Redes Sociais
El Faro - Campanha de Verão
Elióptica 2020 - Loja Online
Elióptica 2020 - Proteja os olhos
Jocriauto 012020
Nabeirauto - Opel Mokka
Nabeirauto - Opel Mokka
Jocriauto 012020
Sanielvas 358x90 - Nov17

PP preocupado com unidade clínica portalegrense

“Hospital é o espelho do abandono do interior de Portugal”

Em comunicado endereçado às redacções, a Comissão Politica Distrital de Portalegre da Juventude Popular considera que “a situação a que chegou o Hospital Dr. José Maria Grande – hospital da capital de distrito, Portalegre, e principal unidade de saúde da região – é o espelho do abandono ao interior de Portugal".

04 Fevereiro 2020

Em comunicado endereçado às redacções, a Comissão Politica Distrital de Portalegre da Juventude Popular considera que “a situação a que chegou o Hospital Dr. José Maria Grande – hospital da capital de distrito, Portalegre, e principal unidade de saúde da região – é o espelho do abandono ao interior de Portugal.

É clara a falta de preocupação de sucessivos governos por quem vive afastado dos grandes centros urbanos, e ela materializou-se na falta de condições do Hospital de Portalegre e na consequente incapacidade em responder às necessidades de uma população que, não o parecendo aos olhos de quem habita a capital, é tão Portuguesa quanto quem vive no litoral.

Foi há uns dias noticiado pela comunicação social – regional e nacional – o estado do piso do serviço de Ortopedia, que ameaça desintegrar-se completamente. Infelizmente não é caso único. Como se de uma visita se tratasse, enumeraremos alguns dos mais sérios problemas que o nosso Hospital atravessa, para utentes e funcionários.

A viagem começa depois de estacionar num parque que está num estado lamentável, por onde entramos por um acesso a consultas externas onde falta segurança para ambulâncias e utentes, ou pelo átrio principal que não apresenta condições para a passagem de macas. Atravessamos uma sala de espera da urgência sem espaço, sem ventilação ou uma sala de espera para consultas externas em que não há climatização. Até o banco de sangue não tem condições mínimas para os dadores.

O Hospital de Portalegre ainda serve refeições, mas o refeitório não tem espaço de separação entre utentes, familiares de utentes e funcionários, e, com frequência, os tempos de espera ultrapassam o razoável.

Quanto aos serviços médicos, muitos são assegurados por empresas externas ou por médicos internos que no lugar de receberem formação desempenham as funções de um médico por vencimentos muito inferiores, sem qualquer incentivo à sua permanência na mesma instituição que tem falta de quadros. A falta de condições do Hospital atinge o bem-estar dos utentes, mas também de todos os funcionários, com situações como o acesso não condicionado aos pisos, facilitando contágios, ou como a falta de controlo de funcionários ao exterior, ocorrências agravadas pelo fraco dispositivo de segurança que carece de efectivos.

Todas estas situações, que levaram a Distrital de Portalegre da Juventude Popular a elaborar este comunicado, foram relatados por funcionários e utentes do Hospital de Portalegre, que procuram soluções para as barreiras que enfrentam quotidianamente, seja na procura de auxílio, seja na prestação de auxílio a outros. Mais uma vez, como tem sido apanágio da JP – que já durante o ano de 2019 deixou pública a sua preocupação com o estado do hospital –, manifestamo-nos contra este país de duas medidas, exigindo mais e melhor de um Estado que se deveria configurar como pessoa de bem”, pode ler-se no comunicado da comissão Politica Distrital de Portalegre da Juventude Popular.