Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
El Faro - Campanha de Verão
Camelo Maio 2020
Elióptica 2020 - Proteja os olhos
Elióptica 2020 - Loja Online
Bricoelvas
Jocriauto 012020
Nabeirauto - Opel Mokka
Sanielvas 358x90 - Nov17
Nabeirauto - Opel Mokka
Jocriauto 012020

Incêndios: 260 militares no terreno até sexta-feira

O Exército e a Marinha vão reforçar os contingentes no terreno, totalizando 260 militares, entre quarta e sexta-feira para vigiar e prevenir fogos florestais devido à manutenção do risco elevado de incêndios.

28 Julho 2020

O Exército e a Marinha vão reforçar os contingentes no terreno, totalizando 260 militares, entre quarta e sexta-feira para vigiar e prevenir fogos florestais devido à manutenção do risco elevado de incêndios.
Segundo comunicado do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), 16 patrulhas (12 do Exército e quatro da Marinha), compostas por 144 elementos vão ser distribuídas pelo território continental em nove distritos: Bragança, Castelo Branco, Faro, Guarda, Porto, Portalegre, Santarém, Viseu e Vila Real.
“Este reforço, que se prevê estender-se até ao próximo dia 31 de Julho, surge no seguimento do pedido da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) ao EMGFA, com o objectivo de incrementar as acções de prevenção um pouco por todo o país”, lê-se no texto.
Os 144 militares vão juntar-se aos 116 que já estão em funções, no âmbito do Protocolo Faunos, em apoio ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas. Em Oleiros, mantêm-se duas máquinas de rasto com uma tripulação de quatro militares cada, em apoio aos trabalhos decorrentes do incêndio que deflagrou no sábado naquela zona.
“A Força Aérea, em apoio à Guarda Nacional Republicana (GNR), empenhou uma aeronave P-3C CUP+, com uma tripulação de 10 elementos, desde segunda-feira e até ao final do dia de hoje para a realização de acções de patrulhamento e fiscalização. Os voos têm especial incidência nos locais sinalizados como de risco muito elevado de incêndio”, ainda segundo o EMGFA.
Entre sábado e segunda-feira, cerca de 300 militares do Exército e da Marinha já estiveram no terreno.

HPG // SF
Lusa