Linhas de Elvas
Elióptica Julho 2019
Nutriprado
Linhas Rádio 2019
Assine Já
Sanielvas 358x90 - Nov17

EDP aposta nas renováveis para baixar factura da luz

Empresa tem preparado um investimento de 12 mil milhões de euros nesta área até 2022

13 Março 2019 | Fonte: DN

A EDP vai apostar nas fontes de energia renovável, de forma a levar a uma descida na factura da luz. A informação é garantida por António Mexia, CEO da empresa, ao Diário de Notícias.

“O reforço do investimento nas renováveis contribui para uma descida sustentável dos preços da energia a prazo e a evolução tecnológica na área das energias limpas também vai ajudar. Os desenvolvimentos adicionais contribuem para uma descida dos preços”, escreve o diário esta quarta-feira, 13 de Março.

Portugal tem dos preços da Luz mais altos da Europa. Apenas na Dinamarca e Bélgica são mais caros. Metade do preço deve-se a taxas cobradas, diz a Eurostat.

Em Portugal os custos com a electricidade atingem uma média de cerca de 24 cêntimos. As taxas cobradas na factura representam 50% dos custos (12 cêntimos). Na Dinamarca o peso das taxas na factura é maior: 17 cêntimos num total de 27 cêntimos. Quanto ao preço do gás natural atinge os 9 cêntimos, abaixo apenas da Suécia e Irlanda.

As energias renováveis trazem descidas dos preços, redução da dependência energética de Portugal face ao exterior e consequente redução do défice externo, além de contribuir para a "criação de empregos e utilização de recursos nacionais”, disse António Mexia ao diário nacional.

A EDP preparou-se para as energias renováveis logo em 2006. Actualmente todas as empresas do sector estão a investir em força na energia verde.

A EDP tem preparado um investimento de 12 mil milhões de euros para estes negócios até 2022. Desta forma estão previstos vendas de centrais termoeléctricas e possivelmente barragens em Portugal e Espanha, a resultar num lucro de dois mil milhões de euros. O plano da empresa prevê ainda que a EDP volte a ter lucros acima de mil milhões de euros em 2022, depois de, em 2018, ter registado resultados positivos de apenas 519 milhões, uma quebra de 53%. 2018 foi o ano em que a EDP pela primeira vez registou prejuízos.