alimentos extremadura
Linhas de Elvas
Talho Escarduça
Elióptica Fevereiro 2019
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco
Sanielvas 358x90 - Nov17
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco
Assine Já

Desperdício de água aumenta em Portugal

Dados de 2017 mostram que Campo Maior apresenta redução de taxa

08 Janeiro 2019 | Fonte: JN

Em 2017 o volume de água desperdiçada daria para encher 281 piscinas olímpicas por dia.

De acordo com o relatório da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) contabilizou-se 256,6 milhões de metros cúbicos de água não facturada. Isto são mais 15,7 milhões de m3 que em 2016, ou seja um aumento de 29,8% para 30,2%.

Esta água não facturada é a água que se perde em condutas envelhecidas até às torneiras e o volume de água usado para fins públicos não pagos, tais como regar jardins ou encher piscinas, explica esta terça-feira, 8 de Janeiro, o Jornal de Notícias.

As perdas de águas agravaram-se em 134 concelhos, metade dos municípios (48,2%) relativamente a 2017. Contudo 121 autarquias melhoraram o registo. 23 concelhos não forneceram dados à ERSAR.

179 concelhos terminaram 2017, ano considerado de seca, com índice de desperdício de água superior à média nacional. Em 79 municípios mais de metade da água que as autarquias compram é perdida. A situação verifica-se mais no Interior onde os equipamentos públicos são menores.

Em Dezembro o Governo atribuiu uma linha de investimento de 40 milhões de euros através do Portugal 2020 para combater o desperdício de água, em pelo menos 20%.

Mas há municípios a apresentarem reduções de taxas, entre eles Campo Maior (11,4%). Braga terminou o ano com uma taxa de 13,9%, Porto com 19% e Faro com 20,1%. Loulé é o município com melhor resultado: 5.1%.

Em conclusão, segundo escreve o JN, 2017 trouxe um maior consumo de água da rede pública. Cada habitante gastou 192 litros por dia, mais cinco litros diários do que em 2016.

O consumo doméstico também aumentou. Cada morador gastou 126 litros, mais dois litros que em 2016. Desde 2014 que o encargo médio com a água para o utilizador final cresce. Nesse ano cada consumidor pagou 126,5 euros por ano. Em 2017 o números subiram para 131 euros.

É na região Norte que mais de paga pela água. Num consumo de 10m3 a população desta região paga cerca de 11,8 euros por mês em água. O Algarve (8,5 euros) tem o custo de água mais baixo do país. Alentejo regista 8,9 euros.