Linhas de Elvas
Elióptica Abril 2019
Neurofit
Nutriprado
Talho Escarduça
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco
Liberdade Branco
Assine Já

Desperdício de água aumenta em Portugal

Dados de 2017 mostram que Campo Maior apresenta redução de taxa

08 Janeiro 2019 | Fonte: JN

Em 2017 o volume de água desperdiçada daria para encher 281 piscinas olímpicas por dia.

De acordo com o relatório da Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) contabilizou-se 256,6 milhões de metros cúbicos de água não facturada. Isto são mais 15,7 milhões de m3 que em 2016, ou seja um aumento de 29,8% para 30,2%.

Esta água não facturada é a água que se perde em condutas envelhecidas até às torneiras e o volume de água usado para fins públicos não pagos, tais como regar jardins ou encher piscinas, explica esta terça-feira, 8 de Janeiro, o Jornal de Notícias.

As perdas de águas agravaram-se em 134 concelhos, metade dos municípios (48,2%) relativamente a 2017. Contudo 121 autarquias melhoraram o registo. 23 concelhos não forneceram dados à ERSAR.

179 concelhos terminaram 2017, ano considerado de seca, com índice de desperdício de água superior à média nacional. Em 79 municípios mais de metade da água que as autarquias compram é perdida. A situação verifica-se mais no Interior onde os equipamentos públicos são menores.

Em Dezembro o Governo atribuiu uma linha de investimento de 40 milhões de euros através do Portugal 2020 para combater o desperdício de água, em pelo menos 20%.

Mas há municípios a apresentarem reduções de taxas, entre eles Campo Maior (11,4%). Braga terminou o ano com uma taxa de 13,9%, Porto com 19% e Faro com 20,1%. Loulé é o município com melhor resultado: 5.1%.

Em conclusão, segundo escreve o JN, 2017 trouxe um maior consumo de água da rede pública. Cada habitante gastou 192 litros por dia, mais cinco litros diários do que em 2016.

O consumo doméstico também aumentou. Cada morador gastou 126 litros, mais dois litros que em 2016. Desde 2014 que o encargo médio com a água para o utilizador final cresce. Nesse ano cada consumidor pagou 126,5 euros por ano. Em 2017 o números subiram para 131 euros.

É na região Norte que mais de paga pela água. Num consumo de 10m3 a população desta região paga cerca de 11,8 euros por mês em água. O Algarve (8,5 euros) tem o custo de água mais baixo do país. Alentejo regista 8,9 euros.