Linhas de Elvas
Elióptica Julho 2019
Nutriprado
Liberdade Branco
Assine Já
Sanielvas 358x90 - Nov17
Liberdade Branco

Opinião

Evolução Humana - Parte I

O que significa ser humano? O que é que nos individualiza dos restantes animais? A nossa tecnologia? A nossa cultura? As nossas emoções? Estou certo de que a resposta terá se ser afirmativa, nenhum outro animal ou ser vivo de outro tipo atingiu o que nós atingimos.

04 Novembro 2019

O que significa ser humano? O que é que nos individualiza dos restantes animais? A nossa tecnologia? A nossa cultura? As nossas emoções? Estou certo de que a resposta terá se ser afirmativa, nenhum outro animal ou ser vivo de outro tipo atingiu o que nós atingimos.

A Nossa história enquanto espécie é única e, tal como todas as histórias, tem um início, um desenvolvimento e, inevitavelmente um fim.

Essa história começa em África há 5,6 milhões de anos (M.a.), nas florestas africanas, e foi nessa época que os nossos antepassados se aventuraram pela primeira vez em terra firme, abandonando assim a segurança das árvores.

Pensa-se que o abandonar das árvores foi motivado pelo desaparecimento das florestas, o que obrigou os nossos antepassados, que ainda se pareciam mais com símios (chimpanzés, gorilas e orangotangos) do que com Humanos modernos, a percorrerem longas distâncias pela savana desarborizada. Este cenário permitiu a evolução da característica que mais nos “humaniza”: o bipedismo, fazendo assim dos Humanos o único mamífero que se desloca unicamente na posição vertical.

Durante o nosso tempo em África evoluímos bastante, por um lado, biologicamente uma vez que perdemos quase todo o nosso pêlo e os nossos cérberos cresceram, e por outro, tecnologicamente pois passámos a usar roupas e aprendemos a dominar o fogo. Foi com esse domínio que pudemos passar a proteger-nos de predadores e a cozinhar alimentos, o que parece ter levado ao aumento do nosso cérbero. Também culturalmente começamos a deixar a nossa marca no mundo que nos rodeava, essencialmente sob a forma de gravuras rupestres.

No entanto foi apenas há 60 mil anos que iniciámos uma viagem épica ao saímos de África, quando, apenas 2000 dos nossos antepassados transpuseram o Médio Oriente e deram origem a 7 mil milhões de pessoas. Contudo a história não está isenta de surpresas, digo isto referindo-me aos “outros” que já habitavam aquelas paragens, espécies de hominídeos, que não sendo nossos antepassados mas sim nossos “primos” afastados que já haviam partido de África antes de nós, colonizando a Europa, a Ásia Central e o Sudeste Asiático.

O convívio com estas espécies tornou-se obviamente inevitável, sendo destas a mais conhecida, o Homem de Neanderthal. Esta espécie de hominídeo evoluiu na Europa e aí viveu durante 400 mil anos até se extinguir.

No entanto antes de se extinguir “ajudou” os nossos antepassados, humanos anatomicamente modernos, a sobreviverem nas florestas frias da Europa e da Ásia, uma vez que, sabe-se hoje, os Neandertais e os humanos anatómicamente modernos ter-se-ão cruzado, dando origem, como resultado destes cruzamentos, a seres mais aptos para sobreviverem quando comparados com qualquer um dos seus progenitores, prova destes cruzamentos é que em média cada humano tem entre 1-2% do genoma dos Neandertais.

As causas para o desaparecimento dos Neandertais e de outros hominídeos é ainda desconhecida em grande parte, contudo parece haver uma correlação com a nossa saída de África, apesar de ser imprudente a especulação do grau de influência que possamos ter tido.

Saímos de África há 60 mil anos, há 55 mil chegámos ao Sudeste Asiático e há 50 mil fizemos a primeira grande travessia marítima e atingimos o continente Australiano, mais tarde veio a Europa, há 40 mil anos atrás, 20 mil anos depois chegámos ao extremo norte da Ásia e aí, aproveitando o lençol de gelo que cobria grande parte do norte do globo devido às glaciações, atravessámos para um novo continente e chegámos à América do Norte, descemos o continente e atingimos a América do Sul há 12 mil anos atrás, conquistando assim todos os continentes exceptuando a Antártida.

Esta foi a primeira parte da nossa épica viagem, viagem que ainda não acabou...