Linhas de Elvas
Nutriprado
Elióptica Fevereiro 2019
Talho Escarduça
Neurofit
Liberdade Branco
Linhas Rádio 2019
Liberdade Branco

Autoridades tentam impedir que jacintos cheguem ao Alqueva

30 mil toneladas desta espécie retirados desde Outubro

07 Fevereiro 2019 | Fonte: Hoy

Nos últimos meses os funcionários da Confederação Hidrográfica do Guadiana (CHG) e da Unidade Militar de Emergências (UME) retiraram 30 mil toneladas de jacinto-de-água do rio Guadiana. uma planta invasora que pode ser "uma grande ameaça" para o reservatório do Alqueva.

“É uma grande ameaça. Enquanto que o troço que passa entre Mérida e Badajoz decorre num rio convencional e estreito, no Alqueva as margens estão a 10 quilómetros entre si. Será como entrar num mar onde se pode produzir uma quantidade enorme desta praga e quase impossível de controlar”, explicou David Catita do Departamento do Ambiente e Ordenamento do Território ao diário Hoy, numa conferência, em Mérida, com o tema ‘Protocolo de Actuação entre Espanha e Portugal para o controlo do Jacinto-de-águia.

O mesmo diz que nos últimos anos a praga de jacintos tem-se aproximado cada vez mais da barragem. O técnico apelou a uma maior consciência da sociedade portuguesa sobre o real perigo dos jacintos.

“O Governo vê esta situação como um assunto que Espanha está a combater. Mas a batalha também é de Portugal, mais até que Espanha”, afirmou.

Samuel Moraleda, presidente da Confederação Hidrográfica do Guadiana, apontou que desde o início dos trabalhos na luta contra os jacintos-de-água em 2004 já retiraram mais de um milhão de toneladas desta espécie do rio.

De momento mais de 400 elementos, entre eles 120 militares, estão a trabalhar na luta contra os jacintos. “Dos 170 quilómetros de rio invadido, já se conseguiu limpar por completo cerca de 35 quilómetros, entre Villanueva de la Serena, Mérida e Badajoz ”, indicou Moraleda.

Nesta conferência, foi acordado entre os dois governos um protocolo de acção para o controlo e eliminação dos jacintos-de-água nos troços fronteiriços do Guadiana, de forma a impedir que a planta não chegue ao Alqueva.