Linhas de Elvas
Alentejo 2020 - Projectos aprovados
Nutriprado
Sanielvas 358x90
Sanielvas 358x90

Nova exposição hoje em Lisboa com peças da colecção António Cachola

13 Maio 2016

As peças da colecção António Cachola, do Museu de Arte Contemporânea de Elvas, vão estar em destaque, a partir de hoje, no Chiado 8 - Espaço Fidelidade Arte Contemporânea, em Lisboa.

A nova exposição do ciclo da colecção neste espaço de arte contemporânea da capital, conta com obras de arte de Francisco Tropa e Pedro Paiva & João Maria Gusmão e vai ser inaugurada esta sexta-feira, pelas 22 horas, no Chiado 8, ficando patente ao público de 16 de Maio a 8 de Julho.
A mostra, com curadoria de Delfim Sardo, pode ser visitada de segunda a sexta, das 12 às 20 horas, com entrada livre, e apresenta uma visão conjunta das obras na Colecção António Cachola de Francisco Tropa e da dupla Pedro Paiva e João Maria Gusmão, artistas que representaram Portugal na Bienal de Veneza em edições consecutivas, respectivamente 2009 e 2011.
De gerações muito próximas, os percursos destes artistas têm vindo a desenvolver-se em torno de universos ficcionais que configuram efectivas mundividências. Os seus projectos vão-se articulando entre si ao longo do tempo, tecendo continuidades e desvelando genealogias pessoais em percursos idiossincráticos e completamente únicos. A construção da exposição partiu da possibilidade de fazer conviver e confrontar os seus projectos, convocando novos sentidos e acrescentando novas complexidades à teia de relações que as obras apresentadas possibilitam.
As obras que se apresentam, nas três salas do espaço da Chiado 8 (os dois filmes em 16mm de Pedro Paiva e João Maria Gusmão e as peças de Francisco Tropa) possuem em comum a remissão para contextos ficcionais cujos contornos nunca são explícitos, bem como um fino humor que assenta, em ambos os casos, na ambiguidade entre a real possibilidade e a construção ilusória. Em ambos os casos, também, esta ilusão, o golpe do prestidigitador, denuncia-se desvelando o mecanismo interior da possibilidade sedutora do mistério.
O mês de Maio, que em Portugal se anuncia vir a ser consagrado à arte contemporânea, graças à realização da feira internacional ARCO Lisboa, que decorre de 26 a 29 de Maio, é para o MACE e a Colecção António Cachola a continuidade na aposta da projecção nacional e internacional dos artistas portugueses, com um programa de iniciativas que lhes é especialmente dedicado e tem por ambição reforçar as ligações entre Madrid e Lisboa, destacando a relevância estratégica e a oferta cultural da cidade de Elvas no circuito que será agora motivado pela arte contemporânea.