Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
Camelo Maio 2020
Elióptica 2020 - Proteja os olhos
El Faro - Campanha de Verão
Elióptica 2020 - Loja Online
Bricoelvas
CME Vote Roncas de Elvas
Nabeirauto - 2020
Sanielvas 358x90 - Nov17
Nabeirauto - 2020

Covid-19: Espanha vai prolongar “estado de emergência” por mais 15 dias

O Governo espanhol decidiu pedir autorização ao parlamento para prorrogar por mais 15 dias o “estado de emergência” em vigor até ao próximo sábado.

22 Março 2020

O Governo espanhol decidiu pedir autorização ao parlamento para prorrogar por mais 15 dias o “estado de emergência” em vigor até ao próximo sábado, comunicou o primeiro-ministro, numa videoconferência hoje com os presidentes das comunidades autónomas do país.
A imprensa espanhola cita fontes que estão a acompanhar aquela reunião virtual para informar da intenção do executivo espanhol liderado por Pedro Sánchez.
A proposta de prolongar a “estado de emergência” não deverá ter qualquer problema em ser aprovada pelo Congresso dos Deputados (câmara baixa do parlamento espanhol), depois de todos os principais partidos de direita espanhóis, na oposição, já terem manifestado que estão ao lado do Governo na luta contra o novo coronavírus.
O Governo espanhol decidiu no sábado da semana passada instaurar o "estado de emergência" durante 15 dias que para ser prorrogado necessita agora da aprovação do parlamento.
O executivo espanhol aprovou no mesmo dia medidas que incluem a proibição de todos os cidadãos de andarem na rua, a não ser que seja para irem trabalhar, comprar comida ou à farmácia.
Numa mensagem televisiva ao país no sábado à noite, o primeiro-ministro espanhol fez o balanço de uma semana com as medidas excepcionais em vigor, alertando os espanhóis para o aumento das mortes nos próximos dias, mas defendendo que "mais cedo do que tarde" o país iria vencer a covid-19.
Pedro Sánchez disse que, "infelizmente", os casos diagnosticados e o número de mortes vão aumentar nos próximos dias, que serão "muito difíceis", apelando a toda a população para "ficar em casa".

FPB // MP
Lusa