acerca el otoño
Linhas de Elvas
Nutriprado
Elióptica - Cuidamos da sua visão
Sanielvas 358x90
Sanielvas 358x90

Saúde

Pacemaker mais pequeno do mundo implantado no HESE

A equipa de Cardiologia do Hospital do Espírito Santo de Évora implantou, esta quinta-feira, dia 14 de Setembro, pela primeira vez na região, o pacemaker mais pequeno do mundo e que não necessita de electrocatéter (“PM sem fios”). Esta cápsula cardíaca mede apenas 2,5 cm e é colocada no coração através de um catéter inserido na veia femoral. O mini dispositivo é fixado às paredes do coração através de pequenos ganchos, fornecendo impulsos elétricos que estabelecem o ritmo cardíaco.

18 Setembro 2017

A equipa de Cardiologia do Hospital do Espírito Santo de Évora implantou, esta quinta-feira, dia 14 de Setembro, pela primeira vez na região, o pacemaker mais pequeno do mundo e que não necessita de electrocatéter (“PM sem fios”). Esta cápsula cardíaca mede apenas 2,5 cm e é colocada no coração através de um catéter inserido na veia femoral. O mini dispositivo é fixado às paredes do coração através de pequenos ganchos, fornecendo impulsos elétricos que estabelecem o ritmo cardíaco.

Pedro Dionísio, cardiologista que lidera a equipa de Pacing e Arritmologia do Hospital do Espírito Santo de Évora explica que “O dispositivo, inserido diretamente no coração através de um procedimento percutâneo assinala uma nova etapa no tratamento das arritmias cardíacas, visto que não necessita de uma incisão cirúrgica no tórax, o que reduz o risco de infeções e o tempo de recuperação dos doentes”. Para além disto é indicado especialmente em doentes sem os acessos venosos habituais, como era o caso desta doente (Uma senhora de 70 anos, com bloqueio aurículo ventricular completo e insuficiência renal crónica, em hemodiálise). Apesar do seu tamanho reduzido, o dispositivo responde aos níveis de atividade do doente, ajustando-se automaticamente ao seu ritmo. Permite também que o paciente tenha acesso aos meios de diagnóstico mais avançados, uma vez que é compatível com aparelhos de ressonância magnética. Já a sua bateria, está preparada para durar, em média, dez anos.

A colocação de um pacemaker é o procedimento mais utilizado para o tratamento da bradicardia, uma perturbação do ritmo cardíaco caracterizada por um batimento lento. A partir de agora, e à semelhança de outros centros hospitalares do país, o HESE passa a disponibilizar este novo dispositivo aos doentes do Alentejo.