Linhas de Elvas
Nutriprado
Elióptica - Cuidamos da sua visão
Linhas Rádio
Linhas PDF

Autárquicas 2017/Elvas: PS apresentou candidatos na Boa-Fé

A lista do PS à Assembleia de Freguesia de Caia, São Pedro e Alcáçova foi apresentada na noite de quinta-feira, dia 31 de Agosto.

01 Setembro 2017

O largo da Fonte do Cangalhão, na Boa-Fé, nesta quinta-feira, dia 31, esteve repleto de gente para conhecer as “caras” que fazem parte da lista à Assembleia de Freguesia de Caia, São Pedro e Alcáçova, pelo Partido Socialista.
A música abriu o serão, com as vozes de Rosa Maria Abrunheiro, Inês Ramos, os irmãos Nuno e Cláudio Aparício e Gao Percussion, que trouxeram ao palco desde a música mais tradicional, o Fado, à mais atual, nacional e internacional.
A lista a esta freguesia é encabeçada pelo atual presidente da Junta de Freguesia, João Rondão, seguindo-se Luís Ribeiro, Sandra Madeira, Júlio de Jesus, Vitor Cristiano, Sónia Subtil, Manuel Dias, José Valadas, Verónica Silva, Mário Barciela, Rui Dias, Maria Sardinha, João Beça, Nuno Caranhola, Carla Santos, Júlio da Conceição, Edgar Dias, Anabela Piçarra, José Cordeiro, Hugo Batista, Ana Lebre, Francisco Chino, Rui de Matos, Tânia Pereira, Carlos Marques e António Matias.
O cabeça de lista à Assembleia de Freguesia começou por agradecer “a presença desta moldura humana, que demonstra a confiança que depositam em nós”, seguindo-se o cumprimento “ao candidato, o meu amigo Nuno Mocinha, ao mandatário da candidatura que nos tem acompanhado nestas ações e a todos os elementos que fazem parte das listas do Partido Socialista”.
João Rondão salientou que “estou a candidatar-me, como todos sabem, a um quarto mandato, e sabem que sou aquela pessoa que vive pensando nos outros, sempre dei resposta aos problemas da população desta freguesia, não houve ninguém a quem não tenha dado resposta e a minha equipa foi muito responsável a tomar conta desta freguesia”.
Como exemplo das intervenções realizadas neste mandato, o presidente da Junta de Freguesia referiu, entre outros, os arranjos urbanísticos levados a cabo, na área da manutenção de espaços públicos e na limpeza e higiene da freguesia, iluminação pública, pintura de espaços, entre muitas outras.
O autarca salientou ainda a abertura do Posto de Turismo do Caia, os arranjos nas escolas da freguesia (quatro escolas e quatro infantários), os eventos organizados para as crianças, além da carrinha que transporta os idosos aos locais onde têm que ir, como Hospital, Correios ou Centro de Saúde, e que “fazemos o sacrifício para manter”, além do apoio dado às associações e instituições aqui localizadas.
Mas, segundo João Rondão, a grande maioria desta atividade só é possível com a “total colaboração por parte do nosso Município” e a Câmara tem “apoiado em tudo o que seja para melhorar as condições de vida da nossa população”.
Este é “um novo ciclo, em que o nosso candidato é a pessoa indicada para o iniciar e para lhe dar continuidade, que tanto fez por Elvas nos últimos quatro anos ao ponto de todo o mundo já nos conhecer”.
Sobre as promessas feitas pela oposição, o candidato questiona-se “se a Câmara Municipal está falida como apregoam, como vão arranjar o dinheiro para cumprir as promessas que fazem?”.
Em termos de obras, relembrou ainda algumas das mais emblemáticas, nomeadamente a “requalificação do Forte da Graça”, aberto ao público em 2015, “a homenagem feita aos hortelões” com uma rotunda nas proximidades do Centro de Negócios de Transfronteiriço além da “reabertura do Posto de Turismo do Caia”.
João Rondão referiu ainda que nunca lhe passou pela cabeça “abandonar um homem como o senhor, que cumpriu e cumpre tudo aquilo a que se propõe e na política não pode valer tudo. Este concelho não é de mim que precisa, é do senhor para a Elevação de Elvas a um patamar superior”, concluiu.
Após a intervenção do candidato, seguiu-se a de Nuno Mocinha, candidato à presidência da Câmara Municipal de Elvas, que agradeceu aos presentes “que quiseram vir aqui dizer presente, por isso muito obrigado. Deixo uma saudação a todos os que aqui estão e são candidatos do Partido Socialista, por não terem medo e dar a cara”, agradecendo ainda “ao mandatário da candidatura, o meu amigo Quim Mendes. Muito obrigado por nos acompanhar”.
Sobre o candidato, referiu que João Rondão “é assim mesmo, e hoje, mesmo com um discurso escrito, conseguiu dizer aquilo que lhe vai na alma, porque é o que vai na alma de todos os elvenses e obrigado a quem acompanha o João nesta grande equipa e que não fui eu que escolhi. Quero dizer-te que escolheste muito bem”.
Nuno Mocinha aproveitou para esclarecer algumas questões, a primeira respeitante à aquisição dos prédios militares, “foram comprados neste mandato, num investimento de 750 mil euros, e incluiu o Forte da Graça, que requalificámos e hoje podemos dizer que é um orgulho porque está aberto ao público” e todos podem ver a grandiosidade deste monumento Património Mundial.
Além disso, a aposta feita no turismo também tem vindo a dar frutos: “nestes últimos quatro anos, passaram por Elvas mais de um milhão de turistas e, por isso, posso dizer que valeu a pena a aposta no turismo e na recuperação do património e nas atividades que vamos realizando”.
Em termos de obras, reforçou mais uma vez o investimento feito no Forte da Graça, “foram 6,5 milhões de euros; a construção do Centro Comunitário da Boa-Fé para dar todas as condições às crianças desta escola”, acrescentando que “foi a freguesia onde a Câmara mais investiu”.
Sobre as críticas lançadas à assinatura do memorando com um grupo chinês, Nuno Mocinha desabafou dizendo que prejudicam o trabalho que se faz. “Temos de ter cuidado, podem dizer mal do Nuno, mas deixem fazer o trabalho; se depois não der certo, aí sim podem falar, para não prejudicar o trabalho que temos vindo a fazer”, lembrando ainda que “o Parque Empresarial já não tem lotes disponíveis, têm-se lá instalado novas empresas e podem ir lá ver para confirmar”, referindo por exemplo o investimento feito pela Alempack, que “iniciou há um ano a obra de ampliação”.
O candidato socialista relembrou ainda que não conseguiu, ainda, “cumprir uma promessa que vos fiz há quatro anos: o Lar da Boa-Fé. Não está feito, porque houve um governo PSD/CDS-PP, que andou a preocupar-se com o défice, deixou na gaveta este programa social e os fundos comunitários que havia para fazer novos equipamentos sociais. Mas nós não baixámos os braços e, assim que entrou este governo, tive uma reunião em Lisboa para lembrar que tinha se fazer aqui um Lar e fizemos o projeto, que já está aprovado e apenas à espera que abram os fundos comunitários para esse efeito, porque seria uma tontice se não aproveitássemos estes fundos”.
Mas Nuno Mocinha foi mais longe, para além de prometer avançar com a construção do Lar assim que haja condições, deixou ainda outra: “a de renovar todas as redes de água deste bairro”.
A apresentação das listas do Partido Socialista prossegue, na próxima segunda-feira, 4 de setembro, pelas 21 horas, na sede da Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos da Belhó, Raposeira e Rui de Melo, com a lista à Assembleia de Freguesia de Caia, São Pedro e Alcáçova.