Linhas de Elvas
Nutriprado
Elióptica - Cuidamos da sua visão
Sanielvas 358x90
Sanielvas 358x90

PS apresentou listas à freguesia de Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso (C/FOTOS)

A Praceta dos Descobrimentos encheu na noite desta quarta-feira, dia 30, para assistir à apresentação das listas do Partido Socialista à Assembleia de Freguesia de Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso.

31 Agosto 2017

A Praceta dos Descobrimentos encheu na noite desta quarta-feira, dia 30, para assistir à apresentação das listas do Partido Socialista à Assembleia de Freguesia de Assunção, Ajuda, Salvador e Santo Ildefonso.

A lista, para além do cabeça de lista José Laço, conta com os seguintes elementos: Dario Leonardo, Cristina Centeno, Amadeu Martins, Carlos Dores, Salomé Barbas, José da Silva, António da Silva, Maria Martins, João Ramalho, Bruno da Silva, Maria de Jesus Monho, Manuel Barreto, Rui Cambóias, Maria de Fátima Rodrigues, Carlos Camoesas, Carlos Mendes, Brígida Gonçalves, Rui Charruadas, António Leal, Andreia Carvão, Nelson Eduardo, Carmo Nascimento, Érica Neves, José Martins e Francisco Brazão.

O momento musical da noite esteve a cargo de Rosa Maria Abrunheiro, Inês Ramos e Gao Percussion, que subiu ao palco com os gémeos Cláudio e Nuno Aparício.

Após a subida ao palco dos candidatos a esta assembleia de freguesia, José Laço, atual presidente da Junta e recandidato ao cargo, começou por “agradecer a confiança que em nós foi depositada”, salientando que este “é um projeto ambicioso e um desafio que se sente todos os dias”.

José Laço referiu que para “responder ao desafio escolhemos uma equipa multifacetada”, acrescentando que “seremos sempre parte da solução e não parte do problema”, adiantou. “Uma equipa que reúne todas as condições para trabalhar para o desenvolvimento desta freguesia”.

Nestes quatro anos, “foi sempre uma freguesia atenta, viva, solidária, para servir a todos e considero que muito daquilo a que nos propusemos está feito, mas há sempre mais para fazer”, agradecendo a colaboração dos residentes que “nos têm feito chegar as suas preocupação e às quais tentámos sempre dar resposta”.

Assim sendo, José Laço salientou a ação da Junta de Freguesia nas áreas da ação social, cultural, desporto, saúde, entre outras, deixando alguns exemplos da mesma, nomeadamente “na área administrativa, onde contratámos alguns funcionários através de uma prestação de serviços, e onde contámos com o apoio também dos programas ocupacionais da Câmara Municipal”, também na “área da manutenção; na gestão financeira e orçamental; na melhoria das acessibilidades às pessoas com mobilidade reduzida; na recuperação da Quinta do Bispo, que estava sem quaisquer condições de uso; na realização de obras por toda a área da freguesia; e na melhoria das acessibilidades e de estacionamento”.

Para além destas, sublinhou ainda a construção do Centro Comunitário da Escola de Santa Luzia, para “dar melhores condições às crianças que frequentam este estabelecimento de ensino”; assim como na implementação de “espaços com equipamentos fitness para a prática do exercício físico e na requalificação de equipamentos polidesportivos e parques infantis”.

Neste espaço de tempo do mandato, “fomos ainda adquirindo equipamento necessário para ir resolvendo as situações com que nos fomos deparando e em colaboração com as diversas instituições e associações da freguesia, através também da realização de eventos, como o torneio noturno, ou a caminhada do Dia da Mãe ou ainda o peddy paper”.

Desenvolveram-se ainda alguns projetos, sendo o PAI, Projeto de Apoio à Imobilidade, um deles, um “projeto inovador, que desenvolvemos em parceria com várias entidades e que conta como apoio a quem precisa, com a cedência de camas articuladas, cadeiras de rodas e andarilhos”.

No final deixou o repto “propomos continuar o trabalho que temos vindo a fazer com a mesma dedicação, empenho e competência, com medidas realistas e dando continuidade aos protocolos existentes”, dando como exemplo destas medidas, para além da continuidade do trabalho em todas estas áreas, “a criação de um Posto de Atendimento Avançado nesta zona, para que as pessoas com mais dificuldades não tenham que se deslocar ao centro da cidade”. “Podem contar comigo e connosco, contamos convosco para Elevar Elvas”.

Após esta intervenção, subiu ao palco o cabeça de lista Nuno Mocinha, que começou por saudar “esta freguesia e todos os elvenses”, deixando um agradecimento ao candidato a esta “pelo trabalho que foste fazendo e por te recandidatares”.

Agradeceu também “a quem veio até aqui e que nos veio dizer: conta connosco e posso assegurar que contam comigo para Elevar este concelho”.

Nuno Mocinha afirmou que “devemos preocupar-nos com aqueles que não têm emprego, com aqueles que não têm muitos rendimentos e gostava muito que ninguém precisasse destes apoios que o Município dá, mas infelizmente não é assim”. Acrescentando que luta “todos os dias para conseguir os milhões de euros que são necessários para dar resposta a esta politica social, que custa qualquer coisa como quatro milhões de euros”.

Além disso, referiu o autarca que “existe um grande conjunto de edifícios públicos, espaços públicos cuja gestão equivale a cerca de dois milhões de euros”, além de que “só a iluminação pública tem um custo de mais de 1,5 milhões de euros. Só isto tudo junto contabiliza 7,5 milhões de euros, o mesmo valor que o Estado transfere para a nossa Autarquia, logo é preciso uma grande ginástica financeira para fazer face ao restante investimento que é necessário”.

Nuno Mocinha referiu as atividades que se fazem, “960 atividades, e quero deixar aqui um agradecimento a todo o movimento associativo e às centenas de pessoas que dele fazem parte e não me arrependo de nenhum cêntimo que foi para estas associações, de mais de 1 milhão de euros”.

O candidato socialista explicou ainda que “há por aí algumas pessoas que dizem que a Câmara está falida, mas posso assegurar que até à data de hoje não contraímos nenhum empréstimo e até reduzimos o valor dos que existem”.

Na sua intervenção saudou “todas as candidaturas” referindo que uma das coisas positivas que “o 25 de Abril nos trouxe foi a liberdade, mas não saúdo a demagogia e a forma como alguns andam a fazer política, não podemos utilizar a mentira, nem enganar as pessoas. Deixem o concelho respirar, não vale tudo para derrubar o Nuno Mocinha, sem termos ideias nem soluções para resolver os problemas”.

No final, deixou ainda uma palavra aos empresários, “que muito têm investido no nosso concelho, na área da agricultura, do comércio, dos serviços, entre outros”, sublinhando que temos “um perímetro de rega mais dinâmico do nosso país e pode-se agradecer essa dinâmica a esses empresários”, acrescentando que não os devemos afuguentar mas dar todas as condições para que aqui possam investir. “Há quatro anos assumi o compromisso de colocar Elvas noutro patamar e é isso que tenho tentado fazer e que asseguro vou continuar a fazer: a Elevar Elvas”, concluiu Nuno Mocinha.

A apresentação das listas do Partido Socialista prossegue amanhã, quinta-feira, dia 31, no largo da Fonte do Cangalhão, na Boa-Fé, a partir das nove da noite, com a lista à Assembleia de Freguesia de Caia, São Pedro e Alcáçova.