Linhas de Elvas
Nutriprado
Sanielvas 358x90
Sanielvas 358x90

Alunos de E.M.R.C. da Escola Secundária D. Sancho II em Taizé

Dezassete alunos da Secundária elvense, acompanhados pelo professor Jorge Borrego, rumaram à pequena aldeia de Taizé, em França.

03 Agosto 2017

No passado dia 22 de julho um grupo de dezassete alunos que frequenta a disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica, acompanhados pelo professor da disciplina, Jorge Borrego, rumaram à pequena aldeia de Taizé, em França, a fim de viverem uma das experiências ecuménicas mais marcantes de todo o mundo.Alunos da Secundaria visitaram Taize
Foram cerca de vinte e cinco horas de caminho para percorrer cerca de dois mil quilómetros, eram grandes as espectativas por parte de todos, pois eram muitos relatos que já tínhamos ouvido de experiências inesquecíveis e de um desejo de voltar referido por todos os que por Taizé já haviam passado.Alunos da Secundaria visitaram Taize
Chegados a Taizé fomos, de imediato, invadidos por um ambiente de serenidade e de paz, apesar do bulício que reinava na aldeia, pois cerca de seis mil jovens vindos de todo o mundo abandonavam a Comunidade depois de uma semana de convívio, trabalho, reflexão e oração e outros tantos chegavam para passarem uma semana que há tanto era sonhada.Alunos da Secundaria visitaram Taize
Mas o que é Taizé? A Comunidade foi fundada no ano 1940 pelo Irmão Roger, que permaneceu como seu Prior até à sua morte em 16 de agosto de 2005 e teve sempre como lema a reconciliação e o espírito de acolhimento a qualquer ser humano independentemente da cor ou credo religioso. A Comunidade é constituída por cerca de setenta homens de várias nacionalidades, pertencentes às Igrejas Protestantes e Católicas. Entre os irmãos encontra-se um Português, o Irmão David Bacharel, natural de Portalegre, que no encontro com os portugueses presentes, nos ajudou a entender o espírito da Comunidade dos Irmãos de Taizé. A vida na comunidade centra-se na oração e na meditação cristã, havendo um programa diário muito preenchido: três orações, reflexões bíblicas no grupo orientado por um dos irmãos, reflexão em pequenos grupos de discussão, tarefas regulares, workshops temáticos e o Oyak, o bar para o qual todos corríamos no final do dia, a fim de cantarmos e convivermos de forma mais informal com todos os que aqui acorriam diariamente.
Foi na verdade uma semana única para todos nós, que creio que terá sido a primeira de muitas para alguns elementos deste fabuloso grupo de alunos.

Professor Jorge Borrego

Depoimentos

“No que diz respeito à minha experiência em Taizé, não poderia estar mais satisfeita. Fui uma das responsáveis pela proposta desta viagem e fui muito bem correspondida. Taizé é, sem sombra de dúvidas, um lugar único que nos dá a oportunidade de nos conhecermos um pouco melhor e de nos encontrarmos a nós próprios. É, definitivamente, um lugar de extrema beleza e que nos transmite uma tranquilidade e uma paz arrepiante. Foi uma experiência muito diferente de todas as que tive até agora e das mais marcantes, não só pelo que disse antes, mas também pelas amizades que estabeleci lá. Para mim, é uma experiência que adoraria repetir.”

Teresa Sardinha



“A minha experiência em Taizé foi única, pois aprendemos a ser solidários, a pensar no próximo, a aceitar Deus nas nossas vidas e como ele está presente no nosso dia-a-dia.”

Cláudia Andrade



“Taizé é mais que uma aldeia, é um mundo em que aprendemos mais do que alguma vez possamos imaginar. Esta semana serviu para melhorar enquanto ser humano, senti-me mais perto de Deus, conheci gente maravilhosa que jamais esquecerei.”

Tiago Carrilho



“Em Taizé encontrei-me comigo e com Deus, senti algo que não sentia há já muito tempo: a presença mais intensa de Deus e de Jesus. Através da oração percebi que terei que ser mais humilde, dar mais valor à família, aos amigos, ajudar mais o próximo. Conheci pessoas que nunca mais esquecerei. Taizé ficará sempre na minha memória, pois foi uma das melhores experiências da minha vida.”

Catarina Nini



“Quando decidi ir a Taizé ia com o propósito de me encontrar e de aprofundar a minha fé. Taizé junta a magia, a perfeição, a simplicidade e a paz, o que me permitiu encontrar algumas respostas às minhas incertezas e ansiedades. Aqui percebi que o Cristianismo não dá respostas, dá pistas que nos chegam através da oração e da partilha em grupo. Nesta semana, em que parei para me encontrar comigo, com os outros e com Deus, percebi que podemos viver e ser felizes com pouco, porque a essência do amor e da felicidade está na simplicidade.”

Margarida Borrego