Linhas de Elvas
Nutriprado
Alentejo 2020 - Projectos aprovados
Sanielvas 358x90
Sanielvas 358x90

Rótula de suspensão cedeu e atrasou Nuno Matos

Dupla Nuno Matos/Nuno Rodrigues da Silva foi forçada a parar durante mais de duas horas para resolver um problema mecânico.

19 Abril 2017

A segunda etapa do Morocco Desert Challenge, que ontem ligou Icht a Foum Zguid, não correu da melhor forma para a dupla Nuno Matos/Nuno Rodrigues da Silva, forçada a parar durante mais de duas horas para resolver um problema mecânico. Mau grado esta situação, a equipa sente-se cada vez mais confiante e a navegar cada vez melhor.
“Partimos em segundo, vínhamos a rolar bem. Já tínhamos passado pelo primeiro classificado, quando cedeu uma rótula de suspensão do nosso Opel Mokka”, explicou Nuno Matos à chegada a Foum Zguid, depois de percorridos 359 quilómetros cronometrados em pistas que cruzaram a maior zona militar do sul de Marrocos.
E o piloto de Portalegre acrescentou: “As pistas eram mais rápidas, com um pouco mais de condução, mais técnicas e nas quais me senti mais à-vontade. Mas não houve só azares. O Nuno está de parabéns porque vinha a fazer um trabalho excepcional, o que é muito positivo porque ainda estamos a aprender. Não caímos em nenhuma das armadilhas, nem apanhámos sustos. E isso já é muito bom”.
Hoje, os concorrentes podem contar com uma grande variedade de paisagens e pistas. Do percurso que liga Foum Zguid a Oum Jrane, num total de 345 quilómetros, fazem parte a travessia pelo Lac Iriki, duas passagens pelas dunas do Erg Chegaga, pelo arenoso oued de Mhamid e a subida de uma montanha íngreme. Para o final da etapa estão reservados cerca de 100 quilómetros de pistas rápidas de areia.