Coronavírus Covid-19
Linhas de Elvas
CME Vote Roncas de Elvas
Elióptica 2020 - Loja Online
Bricoelvas
El Faro - Campanha de Verão
Elióptica 2020 - Proteja os olhos
Camelo Maio 2020
Jocriauto 012020
Nabeirauto - 2020
Jocriauto 012020
Nabeirauto - 2020
Sanielvas 358x90 - Nov17

Em operação da GNR

Sete detidos por suspeitas de crimes de roubo e furto

Crimes ocorreram em 13 distritos, entre eles Évora e Portalegre

19 Fevereiro 2020

Sete pessoas foram hoje detidas em Lisboa e em Évora por suspeitas da prática de 197 crimes de roubo e furto qualificado na sequência de uma operação realizada em 13 distritos do continente, segundo a GNR.
Em comunicado, a Guarda Nacional Republicana (GNR) adiantou que os sete suspeitos, quatro mulheres e três homens com idades entre os 26 e os 63 anos, foram detidos pela Unidade de Intervenção, através da Secção de Informações e Investigação Criminal.
Na origem das detenções está uma investigação a vários crimes que ocorreram em 13 distritos de Portugal continental - Aveiro, Braga, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.
“Os suspeitos, estão indiciados em 197 crimes, designadamente 63 por roubo, 102 por furto qualificado, 23 por furto simples e nove por violência após subtração, em que as vítimas eram predominantemente pessoas idosas, em situação vulnerável, encontrando-se habitualmente sozinhas nas suas habitações”, adianta a GNR.
Hoje, a GNR deu cumprimento a 12 mandados de busca domiciliária.
No âmbito desta investigação, os militares da guarda já tinham anteriormente detido 14 pessoas, das quais 10 estão em prisão preventiva e três com apresentações no posto policial da área de residência.
Os suspeitos vão ser presentes na quinta-feira ao Tribunal de Sintra para primeiro interrogatório judicial e aplicação das medidas de coação.
Na operação participaram elementos da Direção de Investigação Criminal da GNR, dos Comandos Territoriais da GNR de Lisboa, Setúbal, Santarém e Évora, bem como da Polícia de Segurança Pública nas áreas de responsabilidade onde decorreram as diligências (Lisboa e Évora).