Linhas de Elvas
Nutriprado
Elióptica Julho 2019
Liberdade Branco
Assine Já
Sanielvas 358x90 - Nov17
Liberdade Branco

Beja celebra cinco anos de cante Património da Humanidade

As comemorações vão decorrer até 27 de novembro, dia em que o cante alentejano foi classificado pela UNESCO, em 2014, como Património Cultural Imaterial da Humanidade

23 Outubro 2019

A abertura de um espaço dedicado ao cante, à viola campaniça e à música tradicional portuguesa vai marcar no sábado o início das comemorações em Beja dos cinco anos da classificação do cante alentejano como Património da Humanidade.
Trata-se do espaço Sala do Cante e da Viola Campaniça/Centro Interpretativo A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria, que vai ser inaugurado e abrir às 17:30 no Centro UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial situado na cidade de Beja.
As comemorações, promovidas pela Câmara de Beja, vão decorrer até 27 de novembro, dia em que o cante alentejano foi classificado pela UNESCO, em 2014, como Património Cultural Imaterial da Humanidade, graças a uma candidatura apresentada pela Câmara de Serpa e pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.
Além da inauguração do espaço, as comemorações vão incluir também a apresentação de um sítio de Internet dedicado aos grupos corais do concelho e um ciclo de debates, no Centro UNESCO, além de uma rota do cante em igrejas da cidade de Beja.
Segundo o município, o cante alentejano "mudou muito" com a classificação como Património da Humanidade e, cinco anos depois, "importa averiguar a natureza e constatar os aspetos negativos e positivos" da mudança e, por isso, as comemorações vão incluir um ciclo de debates.
"Mas, sobretudo", continua, "importa voltar a centrar o cante naquilo que lhe dá a força vital", ou seja, os grupos corais de cante alentejano.
Neste sentido, as comemorações em Beja vão "centrar a atenção" nos grupos corais do concelho e apresentar o sítio de Internet que lhes é dedicado e promover uma rota do cante.
De acordo com o município, o novo espaço no Centro UNESCO vai "contar um pouco da história" do cante alentejano e da viola campaniça e oferecer a visitantes uma "experiência musical", através da qual poderão cantar duas modas alentejanas interpretadas pelo grupo coral de Beja Cantadores do Desassossego.
Por outro lado, o espaço também vai ter uma mesa interativa que permitirá "navegar pelos mais de três mil vídeos gravados" no âmbito do projeto "A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria, com destaque óbvio para o repertório de música tradicional do concelho de Beja".
Após a inauguração do espaço, também no sábado, vai ser apresentado o sítio de Internet "Beja Que Canta", que alojará páginas de todos os grupos corais do concelho.
Segundo a autarquia, atualmente, no concelho, há 21 grupos corais - 19 seniores e dois infantis -, um número que "impressiona" pela "vitalidade" do cante que "atesta" e "prova que Beja sempre foi e será terra de cante".
Depois da apresentação do sítio de Internet, vai decorrer, ainda no sábado, o primeiro de dois debates do ciclo "Vozes do Cante", que visa debater temas relacionados com a salvaguarda e a valorização do cante alentejano.
O primeiro debate vai discutir como promover e divulgar o cante alentejano e incluir também atuações de dois grupos corais do concelho.
O segundo debate, marcado para dia 23 de novembro, às 17:30, irá abordar o cancioneiro e o futuro e incluir também atuações de três grupos corais.
As comemorações em Beja terminarão a 27 de novembro com a rota "Cante ao Entardecer", que irá decorrer a partir das 17:30 e incluir atuações de dez grupos corais do concelho em cinco igrejas da cidade, dois em cada uma.
LL // MLM
Lusa